Boa noite, Investidor! 11 de janeiro de 2018

Google+ LinkedIn

Confira o que aconteceu depois da abertura do mercado hoje.

Para mais informações sobre o que foi notícia antes da abertura da Bolsa, confira o nosso Bom dia, Investidor!

Destaques Corporativos

Eletrobras (ELET3)(ELET6) – A 6ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco informou a emissão de uma liminar que suspende um trecho da medida provisória (MP) 814/2017. O texto em questão permite a privatização da Eletrobras e suas subsidiárias. A liminar foi tomada com base na ação popular do deputado federal Danilo Cabral, que acredita que a MP “é ilegal e lesa o patrimônio público”. O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia , Paulo Pedrosa, afirmou que o governo deverá recorrer a decisão da Justiça e o ministro Fernando Coelho Filho disse que o projeto de lei para privatizar a estatal elétrica já está pronta e que deve ser enviada ao Congresso Nacional antes do retorno parlamentar.

CESP (CESP6) – O governo federal deve ajudar o governo do estado de São Paulo a preparar o decreto que permitirá a privatização da Cesp. O texto deve detalhar o processo de venda da fatia da empresa, de forma que ela se torne mais rentável para o estado e o país, segundo o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa.

Petrobras (PETR3)(PETR4) – Petrobras recebeu autorização do Ibama para instalar a plataforma Petrobras P-74 no campo de Búzios, na área de cessão onerosa no pré-sal da Bacia de Santos. A P-74 deve ser a primeira de oito plataformas que devem começar a operar neste ano.

Multiplus (MPLUS3) – A Multiplus anunciou a reestruturação do Clube Multiplus, com mudanças na validade dos pontos. As modalidades foram reduzidas de cinco para três, sendo duas delas com pontos vitalícios. Além disso, os “bônus” passaram a se chamar “pontos extras” e terão a mesma validade que os pontos acumulados.

Recomendações de ativos 

Gol (GOLL4) / BTG Pactual – Após a divulgação dos resultados do 4T17 da empresa, o BTG Pactual optou por manter a recomendação de compra para o ativo e elevou o preço-alvo para R$ 21.

Equatorial (EQTL3), Energia (ENGI11) e Transmissão Paulista (TRPL4) / BTG Pactual – O Banco BTG Pactual optou por manter os papéis em sua carteira “Top Picks”, no setor deUtilities. 

Kroton (KROT3) / JPMorgan – Os analistas do JPMorgan rebaixaram a recomendação dos ativos para “neutra” e cortaram o preço-alvo para R$ 19.

Notícias

Inadimplência do consumidor – A taxa de inadimplência do consumidor recuou 3,5% no ano passado, segundo os dados da Boa Vista SCPC. Enquanto na avaliação mensal com ajuste sazonal, dezembro marcou retração de 4,5%. O indicador perdeu 6,0% na comparação do resultado do mesmo mês em 2016.

IGP-M – O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), utilizado no reajuste de contratos de aluguel, atingiu taxa de inflação de 0,75% na primeira prévia de janeiro de 2018. Essa é a taxa mais alta em comparação com a primeira prévia de dezembro de 0,73%, de acordo com os dados publicados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Durante um ano, o IGP-M acumula deflação de 0,41%.

Imposto de Renda – A defasagem da tabela de incidência do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) chegou a 88,4% desde 1996, de acordo com o sindicato nacional dos auditores fiscais da Receita Federal. Com a correção, os impostos ficam menores e mais gente entra na faixa de isenção, que passaria de R$ 1.903,98 para R$ 3,556,56.

Chinas e EUA – A China negou que pretende reduzir ou interromper a compra de títulos da dívida pública dos Estados Unidos, os Treasuries. O informe veio após a notícia de ontem de que o governo chinês estaria recomendando medidas do tipo. Segundo dados do Departamento do Tesouro dos EUA, a China possui US$ 1,3 trilhões em títulos.

BNDES – BNDES acabou com o critério de limite de 25% de distribuição de lucro das empresas como dividendos a acionistas para conceder financiamentos. O objetivo é aumentar novos investimentos no país. “Não haverá mais restrição à distribuição de dividendos desde que haja um compromisso com o desenvolvimento. Antes, havia a restrição porque a Selic estava em 14 por cento. A barreira existia para evitar uma operação financeira em um empréstimo”, disse o diretor de planejamento Carlos Costa.

S&P – A agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) cortou o rating do Brasil de “BB” para “BB-“, justificando a demora na aprovação das reformas estruturais que causariam o equilíbrio fiscal e a aparente falta de vontade da classe política em promovê-las. A perspectiva da agência é “estável”, o que significa que provavelmente a nota não será alterada nos próximos meses.

 

Repórter da ADVFN, Ana Beatriz Bartolo é estudante de jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Interessada em política e economia, trabalha por um jornalismo ético que cumpra seu papel social. Contato: anab@advfn.com.br

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.