Por que a poupança ainda é a favorita dos brasileiros?

LinkedIn

Quando se fala em economizar e investir, muitos brasileiros têm como primeira opção a poupança. A caderneta é mesmo a preferida da população, sendo usada por milhões de poupadores país afora.

No entanto, quem deseja valorizar o próprio capital, deve pensar duas vezes antes de colocar a poupança em primeiro lugar. Há pouco tempo, a modalidade perdeu muitos adeptos, por causa de baixo rendimento, mas conseguiu se recuperar parcialmente apresentando 3,88% de rendimento real, o melhor dos últimos 11 anos.

Mesmo assim, a caderneta continua não sendo a opção mais indicada de aplicação financeira. Se comparada com outras possibilidades, como por exemplo CDB, Tesouro Direto, FII e a Bolsa de Valores, é nítido que seu rendimento deixa a desejar.

Apesar dos números, a poupança ainda é a queridinha dos brasileiros. Afinal, por que ela ainda mantém o posto? Veja a seguir 3 fatores que contribuem para sua popularidade:

1) Preço

O custo é um dos principais motivos para a poupança ser tão popular por aqui. Afinal, para ter uma conta dessa natureza, não costuma-se pagar nada. Isso porque ela normalmente está atrelada a uma conta corrente. Assim, paga-se uma taxa de serviço pela conta corrente e tem-se o benefício da conta poupança.

Mas o preço não deve ser usado como único parâmetro na hora de investir. É claro que os custos, como impostos e taxas de administração devem ser considerados, todavia eles não devem guiar sozinhos uma decisão de investimento.

Lembre-se que as taxas que se deixa de pagar na caderneta nem sempre vão compensar os rendimentos que poderiam ser obtidos em outras modalidades, mesmo tendo que pagar Imposto de Renda ou alguma taxa.

2) Facilidade

O acesso a uma poupança é bem simples: é preciso apenas transferir o valor da conta corrente para a caderneta, sem custos adicionais. Ou seja, é um processo simples e muito cômodo.

Por isso, muitas pessoas acabam ficando na poupança em vez de procurar outras opções. Afinal, essa mudança demanda um pouco mais de trabalho para pesquisar as melhores opções e buscar as condições mais atraentes.

Outra facilidade que a poupança oferece é a chance de retirar o dinheiro a qualquer momento, sem burocracia. Isto é, caso ocorra um imprevisto, o poupador pode sacar o valor rapidamente e utilizá-lo como convier.

Mas o que muita gente não sabe é que outras modalidades de investimento também possuem essa vantagem. É o caso do Tesouro Direto e de alguns CDBs, por exemplo.

3) Segurança

Outro aspecto que ainda mantém muitos brasileiros na caderneta é a segurança. Quando o assunto é dinheiro, um dos maiores medos é perder tudo. Até aí tudo bem. O problema é que muitas vezes deixa-se de aproveitar boas oportunidades pelo medo do desconhecido.

É claro que não se deve pular de cabeça a cada oferta que surge. Analisar cada situação é importante para não cair em armadilhas financeiras.

Ter conhecimento sobre as alternativas que o mercado oferece é fundamental para encontrar o melhor caminho para ver o dinheiro rendendo de verdade. A segurança não é algo exclusivo da poupança. Outros investimentos, como CDB, LCI, LCA e Tesouro Direto também são bastante seguros e vêm com um ponto positivo: podem render mais que a caderneta.

Como foi possível perceber, a poupança tem suas vantagens, mas continua não sendo a melhor opção quando o objetivo é investir. Os juros da caderneta não são os mais interessantes do mercado. Houve momentos, inclusive, em que o rendimento real da poupança, isto é, descontada a inflação, foi negativo.

Por isso, da próxima vez que pensar em deixar seu dinheiro na poupança, faça um pequeno esforço para fugir do lugar comum e buscar opções melhores no mercado financeiro. Na certa, será possível encontrar não uma, mas várias oportunidades seguras e mais rentáveis que a caderneta.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.