Copom corta a Taxa Selic para 6,75%, o menor nível da história

LinkedIn

O Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou após a primeira reunião do ano uma redução de 0,25 p.p. na taxa básica de juros, passando de 7% para 6,75% ao ano. Esse é 11º corte seguindo na taxa Selic, levando-a ao menor nível da história, o que já era esperado pelo mercado financeiro.

Segundo o comunicado, a decisão foi tomada com base na recuperação consistente da economia nacional apresentada por um conjunto de indicadores. Além disso, o cenário externo tem se mostrado favorável com o crescimento global, o que aumenta o apetite de risco em economias emergentes, como a brasileira.

O Copom afirma que a inflação está evoluindo conforme o esperado, em níveis confortáveis. A nota oficial cita o último Boletim Focus, o qual estima para 2018 uma inflação em torno dos 3,9%, enquanto para 2019 e 2020, os valores seriam de 4,25% e 4,0%, respectivamente.

Por outro lado, eles destacam que o fracasso nas reformas estruturais necessárias para o ajuste fiscal do país podem elevar a trajetória da inflação. O Comitê afirma que continuará acompanhando o progresso dessas reformas para possíveis reavaliações das estimativas das taxas.

O comunicado oficial também informa que o Copom pode interromper o processo de flexibilização monetário, caso o cenário básico continue evoluindo como esperado. Mas ao mesmo tempo, se acontecerem mudanças na evolução do cenário e do balanço de riscos, o comitê afirma que pode realizar um corte moderado na próxima reunião.

ScreenShot2018-02-07at16.56.02

Histórico

A redução vem acontecendo desde outubro de 2016, como resultado da flexibilização da política monetária. A taxa de 6,75% é a menor da história desde os 7% definidos na última reunião do ano passado. Entre outubro de 2012 e abril de 2013, a taxa de juros foi mantida nos 7,25%, o patamar recorde de até então, mas ela voltou a ser elevada até atingir os 14,25% em julho de 2015, o que durou até o início dos cortes.

Boletin Focus mais recente já havia previsto esse valor para a taxa, mas estima que até o final de 2019, o juros volte a subir para 8% ao ano.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.