Dólar amplia no primeiro pregão do mês

LinkedIn

O dólar apresentou alta nesta segunda-feira (2), com o mercado atento na questão comercial entre Estados Unidos e China, depois que Pequim divulgou o aumento de tarifas em até 25% sobre produtos dos EUA.

Histórico 

A moeda teve alta de 0,38%, cotada a R$ 3,3116 para compra e R$ 3,3127 para venda.

Após 1 pregão em abril, a moeda valorizou 0,38%%. Não houve fechamento negativo apenas 1 positivo. Em março, a divisa americana fechou cotada a R$ 3,2994  para compra e R$ 3,3001 para venda.

Em 2018, após 61 pregões, o dólar apresenta uma desvalorização de 0,05%. Já se foram 31 pregões em alta, contra 30 em baixa. Em 2016, a divisa dos Estados Unidos fechou cotada a R$ 3,3133 para compra e a R$ 3,3144 para venda.

Influências

O presidente norte-americano, Donald Trump, anunciará ainda nesta semana a lista de importações chinesas a serem tarifadas pelos EUA para punir Pequim por políticas de transferência de tecnologia. Além disso, Trump alegou que a lista de 50 a US$ 60 bilhões em importações anuais deverá ser destinada a produtos em grande parte de alta tecnologia e, que poderia levar mais de dois meses até que a tarifa entre em vigor.

No último domingo (1), Pequim aumentou tarifas em até 25% sobre 128 produtos norte-americanos. As medidas entrarão em vigor nesta segunda.

O Banco Central não anunciou qualquer intervenção no mercado de câmbio, por ora. Em maio, vencem US$ 2,565 bilhões em swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares.

Deixe um comentário