Bom dia, Investidor! 10 de maio de 2018

LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Para saber o que aconteceu ontem após o fechamento do mercado, confira o nosso Boa noite, Investidor!

Pré-Market

O dólar faz uma pausa no recente rali em relação às moedas rivais, enquanto o petróleo avança para além da faixa de US$ 70, tanto em Nova York quanto em Londres, com o investidor ainda avaliando uma série de riscos ao mercado financeiro. As renovadas tensões geopolíticas no Oriente Médio, após uma ação militar na Síria e na península arábica envolvendo o Irã, sustentam o barril da commodity nos maiores níveis desde 2014.

Tal comportamento sustenta as bolsas em alta, com o sinal positivo prevalecendo desde a Ásia, passando pela Europa até chegar em Wall Street. Os mercados emergentes também ensaiam um alívio, mas a pressão sobre o ringgit malaio, após a oposição vencer as eleições presidenciais, mostra que parece não haver uma trégua nos negócios nesta semana. Já a provável formação de um governo populista na Itália não atrapalha a recuperação do euro.

A libra esterlina também ganha terreno em relação ao dólar, à espera da decisão de política monetária do Banco Central da Inglaterra (BoE), enquanto o iene é cotado no menor nível em mais de três meses. Ainda assim, a moeda norte-americana mede forças e avança frente ao dólar neozelandês, após o BC local (RBNZ) sinalizar uma queda na taxa de juros. Nos bônus, o juro projetado pelo papel de 10 anos dos Estados Unidos (T-note) oscila abaixo de 3%.

Após a decisão do presidente Donald Trump de abandonar o acordo nuclear com o Irã, o mercado financeiro só tem olhos para o comportamento do petróleo. O aumento nos preços do barril amplia a expectativa de mais oferta da commodity, estimulando os produtores norte-americanos e mantendo os estoques elevados, apesar dos esforços do cartel da Opep em reduzir a oferta global, sustentando os preços artificialmente.

Leia: Pré-Market: Petróleo e dólar desafiam mercado

Destaques Corporativos

Azul (BOV:AZUL4): A Azul, maior companhia aérea do Brasil em número de destinos, anunciou os seus resultados do primeiro trimestre de 2018. Segundo a companhia, o resultado operacional da empresa foi de R$ 275 milhões, aumento de 12,5% comparado ao mesmo período do ano anterior.

Banco do Brasil (BOV:BBAS3): O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 2,749 bilhões no primeiro trimestre de 2018, 12,5% acima do 1T17, quando o lucro foi de R$ 2,443 bilhões.

Banco do Brasil (BOV:BBAS3): Após anunciar os seus resultados, o Banco do Brasil informou ao mercado que pagará R$ 595 milhões sob a forma de juros sobre capital próprio. O valor corresponderá a R$ 0,21 por ação e seria pago no dia 30 de maio.

Braskem (BOV:BRKM5): A Braskem teve lucro líquido de R$ 1,054 bilhão no 1º trimestre de 2018. queda de 42% quando comparado ao mesmo período de 2017.

QGEP (BOV:QGEP3): O lucro líquido da QGEP durante o primeiro trimestre de 2018 foi de R$ 159,1 milhões — alta de 271,8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Minerva (BOV:BEEF3): A Minerva reportou prejuízo líquido de R$ 114,5 milhões no 1T18, ante lucro líquido de R$ 2,5 milhões no primeiro trimestre de 2017.

Eletropaulo (BOV:ELPL3): O Conselho de Administração da Neoenergia aprovou a emissão de até R$ 5,5 bilhões em debêntures para a possível compra da Eletropaulo.

SLC Agrícola (BOV:SLCE3): A SLC Agrícola apresentou lucro líquido de R$ 169.259 mil no primeiro trimestre de 2018 — melhora expressiva comparado ao mesmo período do ano anterior, quando o lucro foi de R$ 85.319 mil.

Sabesp (BOV:SBSP3): A Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo) anunciou nesta quinta-feira (10), um reajuste de 3,5% na tarifa de áreas sob fornecimento da Sabesp. Os novos preços entram em vigor em 30 dias.

Movida (BOV:MOVI3): A Movida registrou lucro líquido de R$ 26,9 milhões, alta de 30,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Recomendações de Ativos

Suzano (BOV:SUZB3): A equipe do HSBC elevou o preço-alvo da ação de R$ 36,50 para R$ 47,50.

Fibria (BOV:FIBR3): Para a ação da Fibria, a equipe do HSBC revisou para cima o preço-alvo, passando de R$ 63,50 para R$ 74.

Notícias

Petrobras: A Petrobras adiou para o dia 29 de maio a data para pagamento de seus Juros sobre capital próprio. Segundo a petroleira, o motivo para o adiamento foram alguns trâmites operacionais.

Banco Votorantim: O Banco Votorantim encerrou os três primeiros meses de 2018 com lucro líquido de R$ 254,5 milhões, alta de 62,8% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

IPCA: Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA teve alta de 0,22% durante o mês de abril, após alta de 0,9% em março.

Agenda Econômica

CapturadeTela2018-05-10às09.34.51

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.