Entenda como a greve dos caminhoneiros prejudica a todos

LinkedIn

Hoje (24) é o 4º dia seguido que os caminhoneiros brasileiros seguem em greve. O ato é contra a alta do preço do diesel que é controlado pela cotação da Petrobras (BOV:PETR4).

Transportes

Até o momento desta publicação, várias cidades do país foram obrigadas a reduzirem suas frotas de Ônibus por conta da falta do combustível para locomoverem.

Aeroporto – As aeronaves não ficaram de fora. Aviões que tinham destinos como Lisboa, em Portugal, tiveram suas frotas desviadas para abastecerem em Salvador, na Bahia.

Ambulâncias – Segundo informações do G1, as ambulâncias de Castanhal, no Pará, paralisaram os atendimentos por conta da falta do combustível. Já em Porto Velho, em Roraima, apenas 50% das ambulâncias estão atendendo.

Alimentos

A segunda maior central de Abastecimento (Ceasa) da América Latina, em Irajá, no Rio de Janeiro, também foi prejudicada. Mercados da região já sofrem com as prateleiras vazias acompanhanda do racionamento.

Combustível

Os preços dos combustíveis disparam pelos postos brasileiros. No Distrito Federal, o litro da gasolina chegou a ser cobrado a R$ 10,00. Em Ribeiro Preto a cotação chegou a R$ 6,00 e no Rio Grande do Sul falta gasolina em pelo menos 21 municípios.

Fonte: G1

 

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.