OGX Petróleo (OGXP3) registrou prejuízo de R$ 3.48 milhões no 1º trimestre de 2018

LinkedIn

A companhia OGX Petróleo anunciou um prejuízo líquido de R$ 3.48 milhões no 1º trimestre de 2018, valor bem inferior ao prejuízo líquido de R$ 15.33 milhões apurado no mesmo período do ano anterior. Na comparação com o 4º trimestre de 2017 (prejuízo líquido de R$ 6.56 milhões), houve uma redução nas perdas da empresa.

Os ativos totais da OGX Petróleo totalizaram R$ 53.34 milhões no 1º trimestre de 2018, soma 360,57% maior que o saldo de R$ 11.58 milhões registrado no encerramento do mesmo período do ano anterior.

O patrimônio líquido da companhia, por sua vez, apresentou forte retração, ao comparar todos os valores contábeis que os seus sócios possuíam no fechamento do 1º trimestre de 2018 (patrimônio líquido negativo de R$ 43.2 milhões) com a mesma data em 2017 (patrimônio líquido negativo de R$ 432.22 milhões).

A dívida líquida ficou em R$ 140 mil no encerramento do 1º trimestre de 2018, redução de 62,77% ante os R$ 376 mil registrados no ano anterior.

Todos estes dados referem-se à individualização do resultado financeiro da companhia OGX Petróleo (BOV:OGXP3), sem considerar o resultado financeiro de suas companhias subsidiárias (empresas controladas, de maneira direta ou indireta, pela companhia) relacionadas ao 1º trimestre de 2018.

Resultado da OGX Petróleo nos Últimos 12 Meses

A companhia OGX Petróleo acumulou um lucro líquido de R$ 369.02 milhões nos últimos doze meses, período entre o 2º trimestre de 2017 e o 1º trimestre de 2018. Esse valor é 3,32% superior ao lucro líquido apurado na soma dos quatro trimestres do ano anterior (R$ 357.17 milhões).

Acesse o balanço financeiro completo desta companhia, clicando aqui. Não deixe de conferir também seus indicadores fundamentalistas, clicando aqui.

Conheça a OGX Petróleo

OGX – Óleo e Gás Participações S/A é uma empresa do grupo EBX que atua nas áreas de exploração e produção de petróleo e gás natural.

A empresa estreou no leilão da ANP na 9ª Rodada de Licitações como operadora B, classe de empresas que só pode atuar em terra e águas rasas, arrematando 21 blocos nas Bacias de Campos e Santos e pagando um bônus total de 1,471 bilhão de dólares.

Estreou na BM&FBOVESPA no dia 13 de junho de 2008 e permanece pré-operacional desde então, ou seja, sua produção de petróleo ainda não gera lucro.

No primeiro trimestre de 2013, a empresa reportou prejuízo de 804,6 milhões de reais, principalmente devido à despesas no valor de 1,195 bilhão de reais referentes a poços secos e áreas subcomerciais devolvidas à ANP após a conclusão do período exploratório em março de 2013.

A empresa também foi multada em 300 milhões de dólares por supostas irregularidades na instalação e supressão de uma válvula de segurança usada na extração de petróleo e recebeu acusações de ter dívida superior ao que divulgou.

A empresa anunciou no dia 1º de outubro de 2013, que não pagaria suas dívidas a vencer de 45 milhões de dólares

Em 30 de outubro de 2013, 29 dias após noticiar que não iria pagar suas dívidas, a OGX entrou com pedido de recuperação judicial.

Usuários ADVFN acompanham, gratuitamente e em tempo real, a cotação de todas as ações negociadas na BM&FBOVESPA através das ferramentas Monitor, Cotação e Gráfico.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.