Semanário Bovespa: índice desvaloriza 1,91% diante da negatividade local

LinkedIn

Nesta semana, o Ibovespa desvalorizou 5,07% em meio a negatividade na cena local. Caminhoneiros por todo o Brasil iniciaram no começo desta semana uma das maiores greves do país.

A categoria protesta em rodovias federais e estaduais pela redução do valor do óleo diesel, que tem tido altas consecutivas nas refinarias. Com o quadro,  o governo anunciou quatro quedas na cotação dos combustíveis, além de decretar intervenção federal, caso os caminhoneiros não liberem as rodovias. Ontem (25), era o 5º dia consecutivo que a categoria seguia parada, o que gerou o desbastecimento de gasolina e alimento no país.  Com o quadro, segundo a Economática, a Petrobras voltou a perder o posto de maior empresa brasileira de capital aberto em valor de mercado, além de perder R$45 bilhões na sessão de ontem (25).

Ontem (25), o indicador teve queda de 1,53%, cotado a 78.897,66 pontos.

Após 18 pregões em maio, o índice desvalorizou 8,38%. Houve 6 fechamentos positivos contra 12 negativos. Em abril, o indicador fechou com 86.115,50 pontos.pontos.

Já no comparativo com 2017, após 99 pregões, o Ibovespa subiu 3,27%. Já foram 51 fechamentos positivos contra 48 negativos. Ano passado, o índice fechou com 76.402,08 pontos.

Resumo da Semana

Na segunda-feira (21), o Ibovespa caiu 1,52%, cotado a 81.815,31 pontos. No dia seguinte, ele teve alta de 1,13%cotado a 82.738,88 pontos.

No meio da semana, o indicador recuou 2,26%, cotado a 80.867,29 pontos.Na quinta-feira (21), o indicador teve queda de 0,92%, cotado a 80.122,31 pontos.

Ontem (25), o indicador teve queda de 1,53%, cotado a 78.897,66 pontos.

Deixe um comentário