Dóllar Week: moeda valoriza 2,49% refletindo o cenário externo e atenta ao BC

LinkedIn

Na última semana do mês, o dólar apresentou valorização de 2,49%, em uma semana marcada por resultado de pesquisa eleitoral e mais uma ameaça de tarifa realizada pelo presidente americano, Donald Trump.

O republicano, desta vez, acusou a Harley-Davidson, uma montadora de motocicletas, de “usar as tensões comerciais” como justificativas de mudanças na produção no exterior.

“A Harley-Davidson nunca deve ser construída em outro país – nunca! Seus funcionários e clientes já estão muito zangados com eles. Se eles se mudarem, veja, será o começo do fim – eles se renderam, eles vão desistir! A Aura vai se vai e eles serão taxados como nunca antes!”, disse o presidente pelo o Twitter. Apesar do quadro, o próprio presidente lembrou no post que a montadora já havia alertado no início do ano sobre uma possível mudança.

Do lado de cá, na última terça-feira (26), o presidente Michel Temer se encontrou com o vice-presidente americano, Mike Pence, em Brasília. De acordo com o peemedebista os dois acordaram que ambos países seguirão trabalhando para derrubar a barreira no comércio.

A segunda pesquisa presidencial organizada pela Ibope neste ano, apontou que, em um cenário sem a participação do ex-presidente Lula, Jair Bolsonaro (PSL) lidera com 17%, seguido de Marina Silva (Rede), com 13%, Ciro Gomes (PDT), com 8%, e Geraldo Alckmin (PSDB) com 6%. Candidatos como Álvaro Dias (Podemos) tem 3%, e Fernando Haddad (PT) com 2% das intenções.

Ainda na política, ontem (29), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi sorteado relator de uma reclamação da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra decisão do ministro Edson Fachin, que enviou um pedido de liberdade do ex-presidente para ser julgado pelo plenário, e não pela Segunda Turma, como planejavam os advogados.

Ontem (29), a moeda teve alta de 0,56%, cotada a R$3,8758 para compra e R$3,8773 para venda.

Após 21 pregões em junho, a moeda valorizou 3,76%. Houve 7 fechamentos negativos contra 14 positivos. Em maio, a divisa americana fechou cotada a R$3,7352 para compra e R$3,7367 para venda.

Em 2018, após 123 pregões, o dólar apresenta uma valorização de 16,98%. Já se foram 72 pregões em alta, contra 51 em baixa. Em 2016, a divisa dos Estados Unidos fechou cotada a R$ 3,3133 para compra e a R$ 3,3144 para venda.

Resumo da semana

Na segunda-feira (25/06), o dólar recuou 0,14%, cotada a R$3,7769 para compra e R$3,7779 para venda. No dia seguinte, ele aumentou 0,53%, cotada a R$3,7960 para compra e R$3,7980 para venda.

No meio da semana, a moeda ampliou 2,04%, cotada a R$3,8739 para compra e R$3,8755 para venda. Na quinta-feira (28), a moeda caiu 0,51%,cotada a R$3,8547 para compra e R$3,8557 para venda.

Ontem (29), a moeda teve alta de 0,56%, cotada a R$3,8758 para compra e R$3,8773 para venda.

Deixe um comentário