Juro dos empréstimos cai apesar da Selic estável, diz Anefac; cheque especial cobra 12% ao mês

LinkedIn

Mesmo depois de o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) ter mantido inalterada a taxa básica de juros (Selic) em sua ultima reunião, contrariando todas as expectativas do mercado, as taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser reduzidas em maio, a terceira redução mensal consecutiva, informou hoje a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

Apesar da queda, porém, os juros seguem bastante elevados, especialmente nas linhas de emergência, como cheque especial e o cartão de crédito, com custo de 12% ao mês, o mais alto (ver tabela abaixo). Os juros do crédito pessoal também variam bastante entre bancos, que cobram 4,02% ao mês, e as financeiras, com taxa média de 7,24% ao mês.

As taxas do crédito vinham em um longo período de redução quando, em fevereiro de 2018, voltaram a ser elevadas, observa Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor de Estudos e Pesquisas Econômicas da Anefac. Agora, retomam a baixa, movimento que pode ser atribuído aos seguintes fatores, segundo Oliveira:

. Expectativa de nova redução da Selic frente a um menor crescimento econômico e uma inflação menor;

. Redução dos depósitos compulsórios promovida pelo Banco Central e que entraram em vigor em abril de 2018;

. Melhora do cenário econômico com crescimento da economia, o que reduz o risco da inadimplência.

. Taxas de juros e spreads em patamares elevados possibilitando redução das mesmas mesmo com a manutenção da Selic.

Pessoa Física tem menor taxa desde julho de 2015

Das seis linhas de crédito pesquisadas, todas foram reduzidas no mês, afirma Oliveira. A taxa média geral para pessoa física apresentou uma redução de 0,12  ponto percentual no mês (3,07 pontos percentuais no ano), passando de 7,20% ao mês (130,32% ao ano) em abril para 7,08% ao mês (127,25% ao ano) em maio. Esta é a menor taxa desde julho de 2015.

Pessoa Jurídica, menor juro desde março de 2015

Das três linhas de crédito para empresas pesquisadas, todas foram reduzidas no mês. A taxa média geral para pessoa jurídica apresentou uma redução  de 0,10 ponto percentual no mês (1,84 ponto percentual no ano), passando de 4,04% ao mês (60,84% ao ano) em abril para 3,94% ao mês (59,00% ao ano) em maio. É a menor taxa de juros desde março de 2015, diz a Anefac

Taxa de juros x Selic

Considerando todas as  elevações e reduções  da taxa básica de juros (Selic) promovidas pelo Banco Central desde março de 2013, quando a taxa estava em 7,25% ao ano, até maio de 2018, com o juro em 6,5% ao ano, a taxa básica apresenta uma redução de 0,75 ponto percentual.

Nesse período, porém, a taxa de juros média para pessoa física apresentou uma elevação de 39,28 pontos percentuais, de 87,97% ao ano em março de 2013 para 127,25% ao ano em maio de 2018.

Nas operações de crédito para pessoa jurídica, houve uma elevação de 15,42 pontos percentuais, de 43,58% ao ano em março/2013 para 59,00% ao ano em maio/2018.

Perspectivas para os próximos meses para os empréstimos

Tendo em vista a melhora do cenário econômico com menor risco de crédito e o fato das atuais taxas de juros das operações de empréstimos estarem ainda elevadas, a tendência é que as taxas continuem sendo reduzidas nos próximos meses, avalia a Anefac.

TAXA DE JUROS PARA PESSOA FÍSICA

Linha crédito Abril/2018 Maio/2018 Variação Variação
Tx Mês Tx Ano Tx Mês Tx Ano (%) Ponto percent.
Juro comércio

5,35%

86,90% 5,30% 85,84% -0,93%

-0,05

Cartão crédito

12,39%

306,19% 12,02% 290,43% -2,99%

-0,37

Cheque espec. 

12,09%

293,37% 12,03% 290,85% -0,50%

-0,06

CDC – bancos- financiamento de automóveis

1,91%

25,49% 1,89% 25,19% -1,05%

-0,02

Empréstimo pessoal-bancos

4,08%

61,59% 4,02% 60,47% -1,47%

-0,06

Empréstimo pessoal-financeiras

7,36%

134,48% 7,24% 131,36% -1,63%

-0,12

 

Tx Média 

7,20%

130,32% 7,08% 127,25% -1,67%

-0,12

 

Deixe um comentário