Maiores fundos multimercados perdem até 11% desde maio; ganhos chegam a 6,5%

Google+ LinkedIn

Os fundos multimercados continuam sofrendo o impacto da forte mudança de cenário e de preços dos ativos brasileiros iniciada em maio e que continua em junho. De 30 de abril até 14 de junho, considerando 52 fundos com mais de R$ 300 milhões de patrimônio, apenas 11 carteiras estão positivas, com retornos de até 6% no período, enquanto 41 têm perdas, que chegam a  11% (ver tabela abaixo).

A maior parte das perdas ocorreu em maio, quando o ajuste começou e pegou de surpresa os gestores. Houve uma melhora em junho, com mais fundos no azul, 23  positivos no mês até dia 14. Mas, no ano, já são 11 carteiras com perdas, segundo levantamento feito pelo Portal do Pavini com a ferramenta de fundos da Economatica.

Os prejuízos são normais em carteiras multimercados uma vez que esses fundos aplicam em ativos de maior risco, como títulos longos de renda fixa que, com a alta dos juros, apresentam perdas de até 13% em 30 dias, ou em dólar futuro ou opções ou mesmo ações.

A perda normalmente é proporcional ao risco que o fundo assume, e que é estimada pelo indicador Value at Risk, ou VaR. Nesses casos, o gestor está cumprindo o que prometeu, mas o mercado mudou. Por isso, a recomendação é que essas aplicações em multimercados sejam feitas com visão de longo prazo, pois a expectativa é de que o bom gestor acerte mais do que erre e dê um retorno maior que os das aplicações tradicionais.

O problema é que muitos investidores entraram nessas carteiras há pouco tempo, atraídos pelo desempenho passado, e foram pegos em cheio pela correção do mercado. Assustados, alguns começam a sacar as aplicações, como mostram os dados de captação em junho, até dia 14. Ao sacar no meio da turbulência, porém, alguns acabam perdendo a recuperação de parte das perdas quando os mercados voltam à racionalidade.

Os movimentos das últimas três semanas foram muito acentuados, afirma Marcelo Pimentel Mello, vice-presidente de Investimentos da SulAmerica. “No mercado de juros, por exemplo, as taxas subiram mais de 2 pontos percentuais, situação que não se vive todo dia”, observa. Outro sinal da turbulência dos mercados foi o Tesouro Direto, que suspendeu os negócios 29 vezes em três semanas, para seis em todo o ano passado.

Mercado reduziu prêmios e assumiu mais riscos

A força desse movimento foi ampliada pelo fato de o mercado vir retirando o prêmio de risco dos ativos brasileiros nos últimos seis meses, especialmente nos mercados de juros. Com inflação controlada e as sinalizações do Banco Central (BC), o mercado foi arriscando mais e alongando as aplicações em prefixados ou em papéis corrigidos pela inflação, correndo mais risco e aceitando prêmios menores nas aplicações. E, quando veio a volatilidade, os multimercados, especialmente os macro, tiveram impacto relevante. “A maioria compensou as perdas com os ganhos do início do ano, e alguns continuam acima do CDI em 2018, mas os mais arrojados, que correram mais risco, sofreram mais”, explica Mello. “Mas mesmo os que perderam estavam dentro das políticas de seus fundos, de maior risco, que também dá mais ganhos nas fases positivas”, observa.

Mello acha que não há ainda um movimento estrutural de resgates, mas espera para conferir o comportamento dos investidores no começo do próximo mês. “O que deve ocorrer é o investidor olhar o resultado deste mês, avaliar se deve mudar e procurar ajuda de um consultor independente para manter a aplicação ou mudar.”

Pessimistas ganharam

Gestores mais pessimistas, como Gávea e SPX, acabaram se saindo melhor nesse período de turbulência. E mesmo grandes gestores, referências do mercado, como Luis Stuhlberger, da Verde Asset, foram surpreendidos pela mudança de cenário, caso do Verde, maior multimercado do país, que acumula perda de 2,14% de maio para cá, sendo 0,34% em junho (o fundo que aparece na tabela é um dos vários que reproduz a estratégia do Verde e que reúnem mais de R$ 10 bilhões em patrimônio). A redução da perda neste mês mostra que o gestor já ajustou a carteira para evitar novos prejuízos.

A maioria deve estar agora com posições menores e em prazos mais curtos, com proteções para oscilações mais fortes. Mas o cenário indefinido no Brasil, com eleições, e no exterior, com guerra comercial entre EUA e seus parceiros comerciais, deve manter os mercados instáveis e exigirão ainda mais habilidade dos gestores de multimercados brasileiros.

Nome Gestor Cotistas Patrimônio Captação liq. Desde 30/04* Junho 2018 12 meses 2 anos VaR
Jgp Equity Explorer Jgp Ltda 292 636.567 -10.661 -11,35 -4,79 -6,94 9,46 34,01 13,74
Safra Galileo Special J Safra 13.982 2.254.056 -11.206 -10,99 -4,88 -6,86 3,45 13,24 7,15
Xp Long Biased 30 Xp Gestao 30.564 1.381.672 -5.637 -9,14 -5,34 8,67 25,60 13,83
Safra Mix Special J Safra 2.932 441.346 -2.826 -7,78 -3,18 -4,16 4,24 5,17
Safra Absoluto 30 J Safra 7.034 2.516.872 -23.239 -6,16 -2,71 -2,80 5,20 16,33 4,23
BB Mult Macro LP Estilo BB Dtvm S.A 10.871 583.045 -70.347 -6,14 -4,24 -4,28 1,23 34,71 3,67
Ibiuna Long Short Stls Ibirapuera 1.111 479.434 -405 -5,87 -4,84 6,69 13,12 33,12 7,16
BB Mult LP Macro 200 BB Dtvm S.A 23.548 1.008.926 -164.131 -5,82 -4,08 -3,94 1,30 21,47 3,20
Adam Macro II Fc FI Adam Capital 2.401 2.924.536 -5.610 -4,80 -1,91 1,67 9,60 35,10 6,92
Adam Macro Advisory Fc FI Adam Capital 8.376 1.257.714 1.133 -4,73 -1,87 1,73 9,65 35,14 6,86
Caixa FI Mult Rv 30 LP Caixa 4.352 517.835 257 -4,73 -1,95 -0,25 10,00 26,39 5,09
BB Mult LP Juros e Moedas Estilo BB Dtvm S.A 8.709 507.121 -41.920 -4,40 -2,96 -2,66 2,01 16,24 2,51
Safra High Yield Fc FI Mult J Safra 7.311 1.149.628 -12.220 -4,19 -1,86 -1,21 5,81 17,64 3,00
Itau Mult Hedge Fund 30 Mult Itau Dtvm 4.555 5.028.751 16.900 -3,18 -0,82 2,77 11,57 32,49 4,18
Maua Macro FICFI Mult Maua Invest 8.829 1.630.433 3.525 -3,15 0,31 1,78 13,68 32,33 6,66
Safra Faraday Special Fc FI Mult J Safra 13.916 1.981.296 35.004 -3,10 -0,87 1,65 9,94 3,72
Bradesco Prime FICFI Mult Bram Bradesco 3.429 368.213 -22.733 -2,57 -0,61 0,55 6,49 23,90 2,02
Garde D Artagnan FICFI Garde Asset 4.627 3.049.388 -44.714 -2,44 0,55 -0,46 6,50 24,22 3,31
Opportunity Total Fc FI Opportunity Gestao 1.069 550.901 2.098 -2,41 -1,21 0,96 8,11 21,83 3,16
Bradesco H FI Mult Macro Bram Bradesco 12.603 2.273.452 -78.318 -2,39 -0,63 0,77 6,12 22,49 1,82
Verde FICFI Mult Verde Asset 278 1.301.591 -8.552 -2,14 -0,34 1,37 4,35 18,38 3,50
Kapitalo Zeta Fc de FI Kapitalo 245 1.247.717 -2.507 -1,83 1,11 13,55 26,21 66,95 7,59
Ibiuna Hedge Sth Fc de FI Ibiuna Gestao 2.141 2.013.572 9.867 -1,72 2,35 6,34 21,80 39,10 6,05
BTG Pactual Discoveryt BTG Pactual 19.229 1.483.458 17.441 -1,66 0,78 3,35 15,44 29,27 3,69
Xp Macro FI Mult Xp Gestao 48.325 2.368.216 30.361 -1,53 1,24 4,38 15,27 32,66 4,11
Maua Absoluto FICFI Maua Invest 118 331.071 218 -1,51 0,28 2,18 10,63 27,26 3,84
CSHG Top 30 Fc FI CSHG 3.157 2.095.829 -4.330 -1,41 0,14 3,06 10,00 24,86 3,60
ARX Extra Fc FI Mult ARX Invest 3.223 384.756 -21.457 -1,38 -0,24 0,87 3,68 31,32 2,77
Kinea Chronos FI Mult Kinea Invest 5.417 3.909.657 109.833 -1,37 -0,82 3,57 11,20 30,36 2,01
Az Quest Mult Fc FI Mult Az Quest 5.927 527.118 -9.133 -1,36 -0,78 3,37 13,10 30,98 3,93
CSHG Top Fc FI Mult CSHG 1.037 320.301 -1.262 -1,36 0,15 3,06 9,99 24,86 3,55
H3 Composite FICFI Reliance Asset 395 319.931 -4.554 -1,08 0,09 3,35 10,57 25,11 2,56
Bahia Am Marau Fc de FI Bahia Am 49.004 5.804.702 -84.977 -0,80 -0,28 5,82 21,15 47,99 3,78
Kapitalo Kappa Fin Fc Kapitalo 3.803 1.754.689 -2.827 -0,76 0,72 8,60 17,64 41,00 4,27
Santander FICFI Macro Santander 2.545 653.111 39.868 -0,72 0,25 3,89 11,58 26,12 2,54
Ibiuna Hedge Fc de FI Mult Ibiuna Gestao 1.513 387.307 -2.118 -0,56 1,31 4,16 13,51 27,67 3,05
Claritas Long Short Claritas 6.037 467.440 -4.272 -0,32 -0,46 6,18 11,10 35,36 2,45
Neo Mult Estrat 30 Feeder Neo Gestao 173 624.165 -4.756 -0,28 -0,28 2,28 8,25 19,38 4,61
Brasil Plural Equity Hedge 30 Brasil Plural 1.031 304.280 -1.137 -0,22 0,77 3,95 9,66 24,68 3,07
Sul America Evolution Sul America 269 526.648 43 -0,02 -0,26 2,75 8,29 23,37 1,23
Jgp Strategy FIC de FI Jgp Ltda 191 1.128.392 -530 0,28 -0,26 4,56 9,68 32,59 1,79
Apex Equity Hedge FI Apex Capital Ltda 349 677.675 16.462 0,55 1,46 9,75 20,03 36,66 3,61
Gap Long Short 2x FI Gap Gestora 341 803.902 -1.042 0,59 -0,24 4,78 9,24 25,88 2,29
Paineiras Hedge FI Cotas Ipanema 180 455.568 100 0,99 0,44 7,07 13,92 33,72 5,16
Absolute Alpha Fc de FI Absolute 2.744 394.216 17.734 1,02 0,34 3,82 9,51 26,76 1,79
Rps Equity Hedge D30 Rps Capital 349 401.062 17.693 1,35 0,78 6,71 13,57 2,53
Gripen Advisory Fc FI Mult Spx Gestao 8.170 1.523.575 141.658 2,07 2,75 8,06 19,34 4,55
Absolute Vertex CSHG Absolute 441 712.019 55.059 2,38 0,85 7,88 23,91 42,27 5,91
Itau Hedge Mult FI Itau Unibanco 1.755 1.486.791 -17.220 3,55 2,37 7,03 13,57 31,73 1,95
Gavea Macro Fc de FI Mult Gávea Invest 1.139 1.614.574 43.877 5,85 2,71 9,52 17,41 34,31 3,33
Itau Hedge Plus Vertice Itau Unibanco 169 1.446.056 145.825 6,54 4,50 11,67 20,95 47,24 3,91

*Rendimento acumulado de 30 de abril a 14 de junho, em porcentagem. Fonte: Economática

 

A Arena do Pavini é um espaço voltado para fornecer informação de valor e promover o aprendizado e a discussão dos principais temas relacionados à vida do investidor. O blog de notícias é pilotado por Angelo Pavini, renomado jornalista econômico, com mais de 20 anos de experiência na cobertura do mercado financeiro e de assuntos ligados a finanças pessoais.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.