O que podemos aprender com os últimos 5 (cinco) Pregões de BRAP4?

LinkedIn

O que podemos aprender com os últimos 5 (cinco) Pregões de BRAP4?

É verdade, nestes períodos de queda mais intensa do IBOVESPA e de praticamente todos os Ativos que compõem a sua carteira podemos aproveitar a oportunidade e aprender com um dos poucos papéis que se encontram no terreno positivo nos últimos 5 (cinco) Pregões.

(BOV:BRAP4) – BRADESPAR

Para isto utilizaremos a periodicidade diária (gráfico diário) e números para representação do que está sendo comentado. Percebam que os números serão utilizados tanto no gráfico como no indicador Saldo de Volume (OBV).

O gráfico:

BOV^BRAP4 - 06 Jun 2018 23:50

Começaremos com o Gráfico. Não é difícil visualizar que este Ativo está em Tendência de Alta. Mas, até 29/05 a história era outra, a tendência era de baixa.

Antes de começarmos a falar sobre esta tendência de alta, vale a pena olharmos a esquerda do gráfico exatamente onde foi colocado o número 1. (29,75)

Percebam que este fundo foi muito importante para a saída da região de lateralização em que o papel se encontrava. Por ser um fundo, regra geral, esperamos que ele funcione como suporte. Mas, sabemos que nem sempre é assim… Porém, devido a retomada da tendência de alta, este fundo fica quase que gravado na mente dos Investidores. Percebam que os dois fundos anteriores aos fundo número 1 não tiveram a mesma importância, ou seja, não ajudaram na impulsão do Preço para cima. Desta forma, fundos como este (1) sempre deverão ser levados em consideração na montagem de uma operação. Não custa nada lembrar que nem sempre será assim…

Muito bem. Percebam que antes de chegarmos a região do fundo 1 a queda no preço coninuava e ainda de forma intensa, inclusive com volume de negócios crescente (barra de volume). Porém, ao chegarmos próximos a região do fundo (1) representada pelo candle (3) (30,08), o que aconteceu? Após várias quedas, o papel fechou no positivo. Motivo para alguma animação? Nenhum motivo.

Passemos ao candle de número 3. Acredito que muitos ou todos já ouviram falar em ponto de retorno. Apesar disto, não custa nada lembrar.

Ponto de retorno de Alta: ocorre quando o próximo candle tem a sua mínima superior a mínima do candle anterior e seu fechamento ocorre acima da máxima do candle anterior. Para o Ponto de retorno de Baixa o raciocínio é ao contrário.

Podemos afirmar que ocorreu um ponto de retorno no candle número 3? Com toda certeza não. Mas, podemos afirmar que o candle de número 4 é um ponto de retorno em relação ao candle número 3 e, melhor ainda, também é um candle de retorno em relação ao candle número 2. Apesar disto podermos considerar que o movimento de Alta terá alguma continuidade? Com certeza não. Trata-se apenas de um indício de que poderemos ter a continuidade da Alta do Preço.

Agora, a importância da região demarcada com o número 5. Apesar disso tudo, ainda existem alguns obstáculos a frente. As médias móveis. Neste caso, a de 8 e de 20 dias, nada desprezíveis. Apesar disso foi possível superar a média móvel de 20 dias que estava na região de 32,34, mas não foi possível a superação da média móvel de 20 dias que estava na região de 33,44. Aliás como costuma ocorrer, regra geral, a região entre médias móveis sugere lateralização. Desta forma, durante dois pregões o preço permaneceu nesta região.

Candle 6: podemos observar que este candle abriu acima das mínimas dos dois candles anteriores. Pequeno sinal de que poderíamos ter novamente um novo candle de retorno, mas naquele momento se tratava de mera suposição. Mas, após a superação da média de 20 dias que estava na região de 33,45 o índicio de que poderíamos estar de frente para outro candle de retorno aumentou. E ainda havia outra variável ajudando a confirmar esta teoria. O Volume de negócios crescente. A partir desta combinação de variáveis, realmente ocorreu outro candle de retorno.

Nada disso poderia ter sido possível sem uma análise atenta do Saldo de Volume (OBV).

  1. Fundo
  2. Fundo ascendente
  3. Uma figura conhecida nos gráficos: OCOI – Ombro Cabeça Ombro Invertido

A combinação desses 3 (três) itens, fundo ascendente e uma figura de reversão de tendência (OCOI) confirmaram a tendência de Alta do Ativo. Lembro que esta confirmação, apesar de ser fundamental neste estudo, não é nenhuma garantia de que a tendência será ou continuará sendo de alta.

Lembro que, a combinação de todas as variáveis acima sem um gerenciamento de risco adequado, não será garantia de sucesso para nenhum investidor. Quantas vezes já assistimos que, mesmo com todos essas confirmações, e talvez mais algumas…, o mercado virou? Então, prudência nunca é demais.

Espero ter sido didático e simples o suficiente para o pleno entendimento desta Análise e estarei a disposição nos comentários.

Não poderia deixar de passar em branco e não disponibilizar um breve cenário para este ativo:

Tendência: Alta.

(OBV): sinalizando força compradora.

A superação de 34,68 poderá levar o preço a região de 36,00 / 36,70.

A perda de 32,15 poderá levar o preço a região de 30,08 / 29,75.

Cenário: Alta.

Finalizando, não custa nada lembrar, mais uma vez que, a ausência de gerenciamento de riscos adequado não supera uma boa análise, seja técnica ou fundamentalista.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.