Variação cambial leva Usiminas a reportar prejuízo de R$ 19,1 milhões

LinkedIn

A Usiminas (BOV:USIM5divulgou nesta sexta-feira (27), antes do início do pregão, os seus resultados do segundo trimestre de 2019 (2T18) e segundo a empresa, os números reportados não foram tão bons assim.

No período que foi de abril a junho, a siderúrgica reportou prejuízo líquido de R$ 19,1 milhões, ante lucro líquido de R$ 157,2 milhões no 1T18 e R$ 176 milhões no mesmo período do ano anterior.

A empresa destaca ter sido bastante abalada pelos fatores econômicos durante o mês de maio, como a paralisação dos caminhoneiros e a forte elevação do cambio. Esses fatos, somados as indefinições relacionadas à eleição presidencial, trouxeram a tona algumas fragilidades da economia brasileira.

Ao longo do 2º trimestre, o dólar americano apresentou alta volatilidade nos mercados internacionais e valorização de 16% contra o Real. A cotação saiu de R$ 3,31 no início de abril, para R$ 3,86 no final de junho.

Dessa forma, o Ebitda ajustado foi de R$ 518,8 milhões no 2T18, contra R$641,2 milhões no 1T18, uma redução de R$122,4 milhões, principalmente devido ao impacto da provisão pela autuação do Governo do Rio Grande do Sul, que impactou o resultado do 2T18 em R$62,4 milhões e ao resultado negativo da Unidade de Bens de Capital que apresentou Ebitda negativo em R$19,9 milhões durante o período.

A receita líquida da empresa foi de R$ 3,2 bilhões no segundo trimestre, estável em relação à do 1T18, destacando-se os maiores preços de aço no mercado doméstico e na exportação, compensados por menores volumes de venda de aço e de minério de ferro no período.

No 2T18, as despesas com vendas foram de R$73,7 milhões, contra R$76,1 milhões no 1T18, uma redução de 3,2%, principalmente devido a menores volumes de exportação de minério de ferro, consequentemente, menores despesas com carregamento nos terminais e serviços portuários.

Leia mais detalhes no documento oficial fornecido pela empresa

Deixe um comentário