Bom dia, Investidor! 10 de agosto de 2018

Google+ LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Pré Market

Não houve vencedores no primeiro debate presidencial das eleições deste ano na TV, com os candidatos evitando o confronto e dividindo-se em dois lados antagônicos. As semelhanças entre Geraldo Alckmin, Henrique Meirelles e Álvaro Dias, de um lado, destoam-se de Ciro Gomes e Guilherme Boulos. Já Marina Silva mantém o tom pelo terceiro ano eleitoral.

No meio termo, ficou Jair Bolsonaro, enquanto a presença do Cabo Daciolo foi tão questionada quanto a ausência de um representante do PT. A negativa da Justiça em liberar a participação do ex-presidente Lula na televisão pode até ter aliviado a pressão no mercado financeiro doméstico ontem, mas em nada contribui para clarear o cenário para outubro.

Foi, portanto, um “Debate sem Lula”. Preso desde abril, a condenação do ex-presidente em segunda instância torna-o inelegível pela Lei da Ficha Limpa. Mas a legalidade da candidatura ainda depende de análise da Justiça Eleitoral (TSE). E enquanto não houver uma definição desse tema, a disputa seguirá permeada de incerteza.

Isso porque Lula lidera a corrida presidencial nos cenários que contam com a presença dele. Sem ele, Bolsonaro está à frente. Porém, nos levantamentos dos institutos mais tradicionais, o deputado aparece tecnicamente empatado com a ex-senadora que concorre pela Rede que, por sua vez, está em um patamar muito próximo ao do pedetista e do tucano.

Tudo isso considerando-se a margem de erro das mais recentes pesquisas do Datafolha e do Ibope. Além disso, é importante ressaltar que ainda não houve uma campanha da “nova” chapa do PT – com Haddad e Manuela – que tem potencial de transferência de intenção dos votos que iriam para Lula.

Ou seja, mesmo com o debate morno na TV e o evento paralelo na internet ontem, o cenário eleitoral segue totalmente em aberto e indefinido. A campanha eleitoral ainda não começou, mas a situação, por ora, não é nada animadora para o mercado, que sonha com um candidato reformista eleito pelo voto nas urnas.

Por Olívia Bulla

Destaques corporativos 

B3 (B3SA3): Nesta quinta-feira, a B3 divulgou os seus resultados do segundo trimestre de 2018. A receita total atingiu R$1.386,2 milhões, alta de 28,4% sobre o mesmo período do ano anterior (2T17). O lucro líquido atribuído aos acionistas da B3 atingiu R$724,4 milhões, alta de 343,6% em relação ao 2T17.

Dommo (DMMO3): A Dommo Energia reduziu a estimativa de produção média diária de petróleo para o Campo de Atlanta de 16 mil barris para 13 mil barris, com margem de variação de 10%.

B2W (BTOW3): A B2W reportou prejuízo líquido de R$ 108,8 milhões no segundo trimestre de 2018. O valor representa uma queda de 2,7% quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando a companhia registrou prejuízo de R$ 111,8 milhões.

Itaú (ITUB4): O Itaú anunciou nesta sexta-feira (10) que obteve a autorização do Banco Central, com restrições e limitações, para o investimento de até 49,9% da XP Investimentos (XP). “As imposições feitas pelo BC incluem a vedação do Itaú adquirir o controle da XP e a obrigação de preservar a independência da XP”, informou.

Sabesp (SBSP3): A Sabesp teve lucro líquido de R$ 181,9 milhões no segundo trimestre, queda de 45% ante o mesmo período do ano passado, impactado por salto no resultado financeiro negativo do período.

Equatorial (EQTL3): A Equatorial Energia reportou um lucro líquido consolidado de R$ 121 milhões no segundo trimestre, queda de 4,7% ante o mesmo período do ano passado, informou a companhia em balanço divulgado na noite de quinta-feira.

Triunfo Participações (TPIS3): A Triunfo Participações conseguiu na Justiça o restabelecimento do contrato de concessão de trechos das BR-290 e BR-116, no Rio Grande do Sul, até que sejam apreciados os pedidos de reequilíbrio econômico-financeiro do contrato, disse a empresa em fato relevante nesta sexta-feira.

Banrisul (BRSR6): O Banrisul informou nesta sexta-feira, que o seu conselho de administração aprovou o pagamento de juros sobre capital próprio no valor de R$ 88,3 milhões, sendo R$ 0,21590589 por ação ON, R$ 0,21590589 por ação PNA e R$ 0,21590589 por ação PNB.

Recomendação de ativos 

B2W (BTOW3): A equipe do BB Investimentos reiterou a recomendação outperform para o papel da B2W, com preço-alvo de R$ 35,90.

São Carlos (SCAR3): Os analistas do Bradesco BBI reiteraram a recomendação underperform para os ativos da São Carlos, com preço-alvo de R$ 30.

Burger King (BKBR3): O Itaú BBA optou por manter a recomendação do Burger King como outperform e preço-alvo de R$ 21.

Notícias

Rating do Brasil: A agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P) manteve hoje as notas de crédito em moeda local e internacional do Brasil, com perspectiva estável. As notas refletem a confiança na agência na capacidade do país pagar suas dívidas e tem impacto direto nos juros cobrados pelos investidores internacionais para comprar papéis do governo (soberanos) ou de empresas no mercado externo.

Minério de ferro: Os contratos futuros do minério de ferro encerram a jornada desta sexta-feira, na bolsa de mercadorias de Dalian, com desvalorização de 0,59% aos 507,0 iuanes por tonelada

IGP-M: O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado nos reajustes de contratos de aluguel, teve inflação de 0,7% na primeira prévia de agosto. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), a taxa ficou acima da prévia de julho (0,41%). O IGP-M acumula taxas de 6,66% no ano e de 8,89% em 12 meses.

Vendas no varejo: As vendas no varejo brasileiro recuaram 0,3% em junho na comparação com o mês anterior e subiram 1,50% sobre um ano antes, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

Agenda econômica

CapturadeTela2018-08-10às09.30.12

Bruna Rodrigues é estudante de jornalismo pela universidade FIAM-FAAM. Repórter da ADVFN e responsável pela Bússola de Investimentos, Destaques do Dia, Criptomoedas e Boletim Focus. Contato: brunar@advfn.com.br

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.