Bom dia, Investidor! 27 de agosto de 2018

LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Pré Market

A última semana de agosto começa envolta da expectativa quanto à aparição do ex-presidente Lula na tela da TV, falando como candidato do PT durante a propaganda eleitoral. A campanha gratuita em cadeia nacional de rádio e televisão tem início no dia 31 e o rito do processo sobre a impugnação da candidatura do líder nas pesquisas de intenção de voto na Justiça Eleitoral é a principal incerteza no curto prazo.

Apesar da guerra comercial e da tensão geopolítica promovida pela Casa Branca, o investidor está mais atento ao risco local do que ao cenário externo. O temor de que a esquerda continue ganhando espaço na corrida presidencial em outubro é crescente, o que tem mantido o dólar no segundo maior valor do Plano Real – atrás apenas da máxima histórica de R$ 4,16.

Tal valor reflete o receio do mercado financeiro com o futuro político e fiscal do país, enquanto o eleitor mantém a preferência por um governo populista pela quinta eleição consecutiva, sem parecer se preocupar com o corte de gastos e as reformas. E, por ora, não há nenhum indício de que haverá mudança nessa percepção. Ao contrário.

O julgamento no TSE sobre o registro da candidatura de Lula, que foi alvo de 16 impugnações, só deve acontecer, em tese, após o início do horário político nos meios de comunicação de massa. A defesa do ex-presidente tem até a véspera, dia 30, para rebater os pedidos apresentados para barrar a candidatura, com base na Lei da Ficha Limpa.

Passado esse prazo, abre-se a possibilidade de as partes envolvidas apresentarem alegações finais ou mesmo para as considerações do Ministério Público Eleitoral. Não se trata de uma etapa obrigatória, mas a tendência é de que o TSE cumpra o rito a risca, de modo a não permitir questionamentos posteriores.

Com isso, o registro da candidatura de Lula só deve ser julgado pelo plenário do TSE no início do mês que vem, o que pode garantir a presença do ex-presidente na TV em ao menos duas inserções. A campanha no rádio e na TV dos candidatos a presidente começa neste sábado, dia 1º de setembro, alternando-se com os que tentam os governos dos Estados.

Por: Olívia Bulla

Destaques corporativos 

Gerdau (GGBR4): O conselho de administração da Gerdau autorizou a companhia e a sua subsidiária Gerdau Hungria KFT a venderem, conjuntamente, a totalidade de suas participações societárias na Gerdau Hungria KFT Y Cia Sociedad Regular Colectiva. De acordo com o comunicado, o valor da transação será de US$ 120 milhões.
Petrobras (PETR4): A Petrobras iniciou uma nova fase em processos para a cessão de participações da companhia nos campos de Baúna, Tartaruga Verde e Campo de Espadarte. A Petrobras estará aberta a propostas vinculantes pelos ativos, de acordo com comunicados divulgados ao mercado nesta segunda-feira.
Azul (AZUL4): Em comunicado, a Azul informou que o seu conselho de administração elegeu Gilberto Peralta como membro do conselho da companhia. Com mais de 35 anos de experiência no setor de aviação, Peralta teve várias posições de liderança dentro da General Electric – GE, incluindo o cargo de Diretor Presidente da GE Brasil, Gerente Geral da GE Capital Aviation Services e Vice-Presidente da GE Aviation.
Vale (VALE3): Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, o presidente da Vale, Fábio Schvartsman, afirmou que a mineradora vai limitar a produção anual de minério de ferro a 400 milhões de toneladas. Segundo Schvartsman, a empresa tem capacidade para produzir até 450 milhões de toneladas anualmente, mas só usará essa capacidade extra no caso de aumento dos preços do minério.
Via Varejo (VVAR11): O diretor-presidente do Grupo Pão de Açúcar, Peter Estermann, disse ao jornal francês Les Echos, que o GPA não está negociando com a gigante americana Amazon a venda da companhia de comércio de móveis e eletrodomésticos, Via Varejo.

Recomendação de ativos

Cyrela (CYRE3): A equipe do Itaú BBA optou por remover o papel da Cyrela da lista “Brazil Buy List”. Segundo os analistas, o papel vem acumulando queda de mais de 10% desde dezembro. Em substituição, os analistas deram entrada ao papel da Randon (RAPT4), citando a melhora na demanda por caminhões e resultados fortes durante o segundo trimestre.

Hypera (HYPE3): Os analistas da Safra Corretora atualizaram o preço-alvo da Hypera para R$ 35,6 no fim de 2018 e R$ 33,8 no fim de 2019. A recomendação neutral foi mantida.

Banco do Brasil (BBAS3): A XP Investimentos iniciou a cobertura do Banco do Brasil com recomendação neutra e preço-alvo de R$ 41.

Notícias

Relatório focus: Os economistas as instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) para a elaboração do Boletim Focus desta segunda-feira, elevaram a estimativa da inflação, passando de 4,15% para 4,17%. Para o PIB, os economistas baixaram a previsão de crescimento de 1,49% para 1,47%.

Dólar: Após encerrar a semana anterior com alta acumulada de 4,86%, a moeda norte americana iniciou a segunda-feira em queda. Às 09h29 o dólar caía 0,49% a R$ 4,0830 para compra e R$ 4,0841 para venda. O dólar turismo batia os R$ 3,9200 para compra e R$ 4,2500 para venda. A disparada do dólar, que voltou a romper a barreira dos R$ 4 após 2 anos e meio, acontece em meio às incertezas sobre o cenário eleitoral e também ao cenário externo mais turbulento, o que faz aumentar a procura por proteção em dólar.

Minério de ferro: Os contratos futuros do minério de ferro, negociados na bolsa de Dalian, na China, encerraram a sessão desta segunda-feira com queda de 2,24% a 479,00 iuanes por tonelada do produto.

Agenda econômica 

CapturadeTela2018-08-27às09.44.28

Deixe um comentário