Conheça o FGC: a garantia da poupança e da renda fixa

LinkedIn

Se arriscar excessivamente é um dos pontos que muitos investidores não estão dispostos a enfrentar no mercado financeiro. Por isso, muitos acabam procurando por aplicações mais seguras: muitas delas são garantidas pelo chamado pelo Fundo Garantidor de Crédito, ou apenas FGC.

O limite que o FGC garante

O Fundo Garantidor de Crédito garante para uma pessoa física ou jurídica, o valor máximo de até R$1 milhão por CPF ou CNPJ, no intervalo de 4 anos. Este valor garantido está incluído tanto o valor investido quanto o rendimento do período.

Além disso, existe a garantia especial que assegura o valor máximo de até R$20.000.000,00 (vinte milhões de reais), considerando também o valor investido e os juros. No entanto, esta garantia especial é utilizada apenas para a aplicação DPGE – Depósito a Prazo com Garantia Especial.

É interessante salientar que, caso o investimento seja realizado em uma conta conjunta, então o valor garantido é limitado por conta e o valor ressarcido é dividido igualmente entre os titulares, tanto na garantia simples quanto na garantia especial.

A nova garantia do FGC

Em dezembro de 2017, a regra do FGC passou por modificações. Antigamente cada CPF ou CNPJ tinha assegurado até R$250.000,00 por cada instituição, sem limite total.  Atualmente foi estabelecido que cada CPF ou CNPJ é assegurado até R$250.000,00, por instituição, com limite de R$1 milhão a cada 4 anos.

Outra novidade foi para os brasileiros que moram no exterior. Caso este investidor aplique dinheiro em títulos do Brasil, ele também pode contar com a garantia do fundo.

Investimentos garantidos pelo FGC

É possível encontrar diversos ativos garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito. Dentre eles, podemos destacar a caderneta de poupança e os investimentos em renda fixa, que são:

  • CDB – Certificado de Depósito Bancário
  • LC – Letra de Câmbio
  • LCI – Letra de Crédito Imobiliário
  • LCA – Letra de Crédito do Agronegócio

No entanto, vale salientar que independente da proteção do FGC, o investidor precisa escolher o investimento que mais se adequa ao seu perfil e objetivo atual. De fato, a garantia é uma grande vantagem, mas não pode utilizar este único fator na escolha da aplicação.

Entenda melhor o que é FGC

O Fundo Garantidor de Crédito foi fundado em 1995 e é uma entidade privada, sem fins lucrativos, que administra os mecanismos de proteção aos investidores frente às instituições financeiras associadas a ele.

Esta entidade privada serve para manutenção da estabilidade do Sistema Financeiro Nacional (SFN), a fim de proteger os investidores e os clientes das instituições de uma possível crise bancária.

Além disso, o FGC também tem o objetivo de contratar operações de suporte ou assistência financeira. Isto pode ser realizado de forma direta, ou então por meio de organizações indicadas.

Bancos, associações de poupança e empréstimo, sociedades de crédito, sociedades de crédito imobiliário e companhias hipotecárias, são exemplos de instituições associadas a este fundo.

É importante destacar que a instituição não pode emitir aplicações com a proteção do FGC sem ser associada a ele.  Portanto, se o investidor realizar uma aplicação em uma instituição associada ao FGC, este investimento não pode deixar de fazer parte do fundo antes do ativo vencer. 

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.