Onde investir com a alta do dólar?

Google+ LinkedIn

Por Rico Investimentos

Muitas pessoas acreditam que o melhor investimento a ser feito com a alta do dólar, é a compra da moeda. No entanto, isso nem sempre é verdade, uma vez que existem diversas opções que podem ser bem mais rentáveis em curto, médio e longo prazo.

Se você quer lucrar com a alta do dólar, optar pelos seguintes ativos pode ser mais vantajoso do que investir em dólar: fundos multimercados, ações de empresas específicas (que valorizam com a ação da moeda) e mercado futuro (dólar futuro).

Nesse artigo, você vai aprender como se beneficiar da valorização do dólar, além de:

  • Entender as causas e consequências da alta do dólar;
  • Saber se o dólar em alta é a melhor aplicação quando a moeda está em alta;
  • Conhecer as melhores opções de investimento com a alta do dólar;
  • Saber qual é a tendência do dólar para o fim de 2018: se é subir ou descer.

Alta do dólar: causas e consequências

A variação cambial da moeda norte-americana está atrelada a diversos fatores do cenário internacional. Então, se o seu objetivo é saber onde investir com a alta do dólar, você também precisa conhecer os motivos pelos quais essa alta acontece.

  • Motivo do aumento do dólar hoje

Por conta do baixo índice de desemprego e forte crescimento da sua economia, inclusive superando as expectativas do mercado, a previsão é de que a inflação dos Estados Unidos continue avançando. Diante disso, o governo norte-americano aumentou por duas vezes a sua taxa básica de juros desde o início do ano, a fim de controlar a elevação dos preços nos produtos vendidos no país.

A taxa de juros americana está na faixa de 1,75% e 2,0% (dados de 05 de setembro de 2018). Segundo o Federal Reserve (Fed), o Banco Central norte-americano, essa taxa continuará sofrendo elevação gradual até o fim do ano.

Por apresentar juros mais altos, investidores que possuem dinheiro aplicado em países emergentes, como o Brasil, acabam preferindo migrar seu capital para o Tesouro americano. O treasure é considerado por muitos, um dos papéis mais seguros do mundo.

Este é um dos fatores que fazem com que o dólar avance. A moeda está se valorizando em relação à brasileira e quanto menor é a oferta de dólar no mercado de câmbio nacional, maior é o seu preço. Além disso, também existem os fatores internos que influenciam na volatilidade do mercado cambial.

O principal deles, sem dúvidas, é baseado nas perspectivas do cenário eleitoral quando a população brasileira vai escolher o próximo presidente da república.

Isso acontece porque alguns candidatos apresentam uma postura menos rigorosa com relação à economia. Por exemplo, adotando uma postura diferente daquela que o mercado acredita ser a ideal. Assim, muitos investidores optam por outros mercados, de modo a se proteger de uma possível mudança.

  • Consequências 

Uma das maiores consequências da alta do dólar, é a sua influência na inflação brasileira. Durante os últimos 12 meses, até julho de 2018, a inflação acumulada do Brasil foi de 4,48%. Com a valorização da moeda norte-americana, produtores nacionais tendem a dispor de maior parte da sua produção para exportação.

Com isso, o valor dos produtos vendidos no Brasil tende a aumentar. As importações também são afetadas pela diminuição do poder de compra do importador.

Dólar em alta é bom ou ruim para os investimentos?

Independente do cenário econômico e da volatilidade da moeda norte-americana, sempre vão existir boas opções de investimentos. Para escolher onde investir com a alta do dólar, é fundamental que tanto investidores experientes quanto iniciantes conheçam as melhores opções.

A principal dica é ler bastante e ter cautela ao decidir comprar dólares ou investir em fundos cambiais, por exemplo.

Alguns investidores escolhem estas opções porque o dólar ainda pode subir mais até o final do ano. No entanto, não é possível ter certeza de que os aumentos ocorrerão. Além disso, a moeda já se encontra em um patamar relativamente alto historicamente.

Se o seu objetivo é investir durante a alta da moeda norte-americana, é recomendável optar por investimentos de baixo risco. Principalmente se você quer se proteger contra a possível volatilidade do mercado cambial.

Algumas alternativas de baixo risco são os investimentos em Tesouro Selic e fundos DI. Os CDBs com liquidez diária são uma boa pedida se o objetivo for resgatar o investimento em um curto espaço de tempo.

Agora, se você busca uma boa rentabilidade, pretende resgatar seu dinheiro em um período um pouco maior de tempo e não correr muitos riscos,  investir em um CDB pós-fixado pode ser uma ótima opção.

Contudo, se o seu perfil de investidor é um pouco mais arrojado, optar por fundos multimercado ou caso seja ainda mais arrojado, o mercado futuro pode render ótimos lucros e se adequar melhor aos seus objetivos.

Investir em dólar é a melhor aplicação quando a moeda está em alta?

Se o seu objetivo for comprar dólar diretamente, talvez esse não seja o melhor momento para isso. Existe uma chance desse ser o pico da cotação. Mas lembre-se: não é possível ter uma certeza quanto a isso. Portanto, o mais indicado é aplicar em opções mais previsíveis.

Existem diversas opções para investir com a alta do dólar e lucrar com isso, além das opções mais seguras da renda fixa.

Onde investir com a alta do dólar:

Existem algumas opções para investir com a alta do dólar, hoje, que podem fazer você lucrar com a variação cambial. Ou seja, é possível aproveitar a alta dessa moeda, de forma a melhorar a rentabilidade da sua carteira de ativos. Pensando nisso, selecionamos as melhores e mais rentáveis opções para você. Confira:

  • 1. Ações de empresas específicas

Ao decidir onde investir com a alta do dólar, você pode optar por ações de empresas que se beneficiam com a valorização dessa moeda.

Algumas companhias brasileiras, por exemplo, possuem parte de suas receitas em dólar. Com isso, seus lucros aumentam com a variação cambial.

Uma dessas instituições é a Suzano (SUZB3), que possui atualmente em torno de 60% de sua receita proveniente da moeda norte-americana.

  • 2. Mercado Futuro

É possível investir na alta do dólar (e também na baixa) optando pelo mercado futuro através da BM&F Bovespa.

Com isso, você pode comprar mini contratos de dólar que pagam o valor da diferença da valorização da moeda norte-americana durante o período do contrato.

Ele nada mais é do que um contrato de compra ou venda dessa moeda, por um preço previamente definido.

Assim, no vencimento do contrato, o comprador recebe a rentabilidade da operação se ela tiver sido bem sucedida.

Investindo em dólar futuro no médio e longo prazo, você tem mais chances de lucrar e de proteger o capital que foi aplicado.

  • 3. Fundos multimercados

Um fundo multimercado, diferente de um fundo de investimento de classe específica, operam com ativos mais diversos. Eles podem incluir papéis de renda fixa, ações empresariais, derivativos e moedas, por exemplo.

Como em qualquer fundo de investimento, você conta com um gestor para direcionar as estratégias. Ele, por sua vez, dispõe de maior flexibilidade para agir de acordo com as mudanças no cenário econômico e mercado financeiro neste tipo de fundo.

É justamente essa versatilidade que torna os fundos multimercados tão atrativos em momentos de grande volatilidade nos mercados. A diversificação é essencial para reduzir os riscos e potenciar os ganhos.

Existem fundos mais agressivos, que oscilam mais, tem mais riscos e consequentemente, trazem maiores retornos. Assim como existem os fundos mais conservadores, que possuem menos risco, e retornos um pouco mais baixos. Por isso, nunca deixe de considerar seu perfil e estudar as opções disponíveis antes de tomar uma decisão.

Também é importante ficar atento à liquidez do fundo escolhido. É comum que o investidor precise esperar algum tempo antes de ter acesso aos recursos.

O prazo varia, portanto, é fundamental que você leia atentamente o regulamento e o prospecto antes de fazer os aportes. Essa é, na verdade, uma recomendação válida para qualquer tipo de investimento.

Qual a tendência do dólar para o fim de 2018? Subir ou Descer?

Pode ser que o valor do dólar avance ainda mais até o fim de 2018, visto que muitos especialistas acreditam que a taxa de juros americana ainda possa subir por mais duas vezes. Além disso, a instabilidade política vivida pelo Brasil também está influenciando o valor da moeda.

Lembre-se: é impossível prever com total certeza se o valor do dólar vai subir ainda mais ou cair. A expectativa de alta é apenas uma previsão. Por isso, você deve estar preparado e protegido para as duas situações.

E qual a tendência do Dólar para 2019?

Para 2019, segundo o Relatório de Mercado Focus, divulgado pelo Banco Central, a estimativa é que o dólar fique próximo a R$3,70 com a alta da taxa de juros dos Estados Unidos. Contudo, o Boletim Focus expõem apenas a expectativa dos agentes e pode acontecer caso eles ainda não tenham revisado suas projeções.

Esse cenário pode mudar de acordo com as variáveis internacionais e domésticas.

Conclusão

Existem diversas variáveis políticas e econômicas que podem influenciar o valor do dólar. Dentre os fatores internacionais, destaca-se o acelerado crescimento econômico dos Estados Unidos. Com isso, o país aumentou a sua taxa de juros básica para controlar o aumento dos preços e proteger o poder de compra da população.

Agora, entre os fatores nacionais que mais podem impactar esse aumento, estão a instabilidade política e a mudança de foco de mercado em relação aos produtores brasileiros. Com a alta do dólar, esses produtores costumam optar por exportar seus produtos ao invés de vendê-los em território nacional. Mesmo com a alta da moeda norte-americana, você ainda pode ver o seu dinheiro render.

As melhores opções para esse momento são:

  • Fundos multimercados
  • Ações de empresas específicas
  • Mercado Futuro

Gostou do artigo? Tem alguma dúvida? Então deixe o seu comentário logo abaixo.

Obrigado por ler até aqui e bons investimentos.

Repórter ADVFN é o canal automatizado de informações da ADVFN Brasil, um dos principais veículos financeiros do país. Contém vídeos exclusivos sobre o dia a dia do mercado financeiro brasileiro, além de artigos inéditos produzidos por canais de comunicação parceiros.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.