Liderança de Bolsonaro cria otimismo no mercado, mas exterior limita ganhos

Google+ LinkedIn

Vendas no varejo superaram positivamente as expectativas do mercado. A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo IBGE, mostrou um resultado além do esperado. As vendas no varejo registraram variação de 1,3% na comparação entre agosto e julho. Nesta comparação, a receita registrou variação de 1,5%. No acumulado em 12 meses, o volume de vendas tem alta de 3,3%. Considerando o comércio varejista ampliado — incluindo as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção — as vendas registraram alta de 4,2% em agosto e acumula alta de 6,4% em 12 meses.

Atividade econômica

Mercados acionários

O selloff ocorrido ontem continua a contaminar os mercados acionários internacionais, reduzindo o apetite ao risco dos investidores. O desempenho da economia americana continua a dar suporte ao Federal Reserve, que tem sinalizado com maior ênfase uma continuidade no aumento dos juros. Cabe mencionar que a atuação do Comitê tem criado um impasse entre o Fed e o presidente Donald Trump, crítico da atual política monetária. A forte volatilidade em Wall Street retornou, após um período relativamente longo em níveis “normais”; veja no índice VIX abaixo:

Essa tendência de queda nos mercados globais deve se manter. Os investidores ficarão atentos a qualquer tom mais suave que possa vir dos dirigentes do Fed, ou seja, uma mudança na retórica.

No Brasil, a bolsa registra altas, que derivam da liderança de Jair Bolsonaro nas pesquisas eleitorais. A primeira pesquisa Datafolha do 2° turno mostrou uma diferença de 13 pontos entre Bolsonaro e Fernando Haddad. Já a pesquisa XP/Inespe, divulgada um pouco antes da abertura do mercado, apresentou uma diferença de 18 pontos entre os candidatos. O otimismo do mercado foi limitado pelo exterior, onde as bolsas registram quedas desde os índices asiáticos aos americanos.

Expectativas dos agentes

Essa tendência de queda nos mercados globais deve se manter. Os investidores ficarão atentos a qualquer tom mais suave que possa vir dos dirigentes do Fed, ou seja, uma mudança na retórica. Isso poderia inverter a tendência dos mercados acionários. Vale notar também que a proximidade do período de balanços trimestrais poderia impactar os negócios, uma vez que a expectativa é, novamente, de bons resultados.

Na agenda do dia, atenção aos estoques de petróleo bruto nos Estados Unidos. Na China, a balança comercial será divulgada às 23h30.

Economista pela FEA-USP, mestre pela EESP-FGV, CNPI, tem 30 anos de experiência no mercado financeiro, tendo passado por diversas instituições financeiras, tanto como gestor de investimentos como Economista e Analista. Hoje é economista e analista da NOVA FUTURA CTVM.
http://pepasilveira.blogspot.com.br/

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.