Mercados internacionais ensaiam recuperação, com cautela

Google+ LinkedIn

PMI da Zona do Euro dá sinais de desaceleração na atividade econômica, e baixo otimismo entre os agentes econômicos. O PMI Composto da Zona do Euro caiu de 54,1 pontos em setembro para 52,7 pontos em outubro, aquém das expectativas do mercado (53,9 pontos).

Atividade econômica

A desaceleração na atividade surgiu especialmente da queda nas exportações, impacto das tensões comerciais e tarifas nos negócios. A aversão ao risco tem efeitos nas expectativas dos agentes, que permanecem menos otimistas e menos propensos a investir/fazer novos negócios. Embora o PMI tenha dado sinais de pressão inflacionária (o que é muito bem visto na região, no ponto de vista do Banco Central Europeu), a desaceleração na atividade deve manter o BCE ocupado em manter estímulos monetários na Zona do Euro.

Mercados acionários

Os mercados acionários internacionais ensaiam uma recuperação. Os principais índices acionários da Ásia encerraram suas sessões (turbulentas, com alta volatilidade) com leve alta, exceto por Hong Kong. A bolsa de Xangai registrou alta de 0,33%, e a bolsa de Tóquio fechou com alta de 0,37%. Na sessão europeia os ganhos foram mais expressivos, e o índice europeu Stoxx 600 registra alta de 1,03% à medida que as empresas apresentam os seus resultados corporativos. No mercado doméstico, o Ibovespa registra alta de 0,3%.

O cenário das bolsas se mostrou mais suave, mas os mesmos temores de ontem continuam presentes. Como já mencionado: a morte do jornalista na Arábia Saudita, a dificuldade do Reino Unido em estabelecer um acordo do Brexit, o problema orçamentário na Itália e o receio com a desaceleração da atividade econômica na China em meio a uma guerra comercial. Este temor é percebido nos índices futuros dos EUA, que dão sinais mistos de cautela e alívio. Enquanto o Dow Jones Futuro tem alta de 0,04%, o S&P Futuro e o Nasdaq futuro sinalizam uma abertura com queda de 0,2%.

Sem um viés definido nos negócios internacionais, o mercado de divisas deve continuar a receber uma atenção especial. Hoje, o dólar registra uma alta forte em seu índice, com variação de 0,44%. O euro sofre uma depreciação de 0,6%, reflexo da piora em seus indicadores econômicos.

Expectativas dos agentes

Os mercados internacionais vão dividir atenções entre balanços e indicadores PMI. Destaque para Barclays, Microsoft, AT&T, Boeing e Ford. No Brasil, Vale e Via Varejo divulgarão os seus resultados após o fechamento; enquanto isso, aqui nós digerimos os sinais que deram os números da Fibria e Weg.

Nos Estados Unidos, atenção aos indicadores PMI de serviços e indústria. Dirigentes do Federal Reserve vão discursar às 12h30 (Bullard) e às 14h00 (Bostic, com poder de voto no Comitê Federal de Política Monetária).

Economista pela FEA-USP, mestre pela EESP-FGV, CNPI, tem 30 anos de experiência no mercado financeiro, tendo passado por diversas instituições financeiras, tanto como gestor de investimentos como Economista e Analista. Hoje é economista e analista da NOVA FUTURA CTVM.
http://pepasilveira.blogspot.com.br/

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.