Bom dia, Investidor! 28 de novembro de 2018

LinkedIn

Esse é o Bom Dia, Investidor, com tudo o que você precisa saber antes da Bolsa abrir!

Pré Market

Os Estados Unidos roubam a cena nesta quarta-feira, dia de dados revisados sobre o crescimento econômico no trimestre passado e de discurso da autoridade máxima do Banco Central do país (Fed), que vem sendo cada vez mais pressionado pelo presidente norte-americano, Donald Trump. Os investidores estão cada vez mais assustados com a desaceleração da economia global e os impactos da guerra comercial, o que pode fazer com que o Federal Reserve não seja tão agressivo na estratégia de aumento dos juros.

Ontem, o vice-presidente do Fed, Richard Clarida, enfatizou a dependência dos indicadores econômicos na tomada de decisão sobre o rumo da taxa de juros nos EUA, agora que a política monetária se aproxima de uma posição neutra. Segundo ele, é preciso refinar os dados norte-americanos sobre crescimento, inflação e emprego.

Hoje, é a vez do presidente do Fed, Jerome Powell, discursar (15h), e ele pode lançar novas pistas sobre o processo de alta dos juros nos EUA. A expectativa ainda é de que os aumentos sejam mais espaçados ao longo de 2019, totalizando, no máximo, três apertos em oito reuniões durante todo o ano – já com vistas ao fim do ciclo.

Aliás, Powell está sob forte pressão de Trump para interromper a subida da taxa, elevando o custo do empréstimo nos EUA. Em entrevista ao jornal Washington Post, Trump culpou “Jay” pela recente onda vendedora (selloff) nas ações da General Motors (GM), alegou que o aumento dos juros está prejudicando a economia e disse que se arrepende de ter nomeado Powell para liderar o Fed. “Não estou nem um pouco feliz com a minha escolha”, disse.

Para os investidores, o tom da conversa entre Trump e o líder chinês, Xi Jinping, na Argentina, no sábado também será importante. Trump se diz aberto a um acordo comercial com Pequim, mas também está pronto para impor novas tarifas de importação aos bens chineses, caso as próximas negociações não tenham progresso.

Por Olívia Bulla

Destaques corporativos

Cemig (CMIG4): A Cemig realizou, nesta terça,27, a venda de 4.350 mil ações da Light, que representam 2,13% do capital social da distribuidora carioca, pelo valor total de R$ 64,5 milhões. A informação consta em fato relevante enviado ao mercado após o pregão.

Locamérica (LCAM3): A Locamérica divulgou que seu conselho de administração aprovou nesta terça, 27, a realização de uma oferta para vender 38 milhões de ações, em uma operação de alcance restrito.

Biosev (BSEV3):  A Biosev, fabricante de açúcar e etanol controlada pela trading Louis Dreyfus, contratou um banco de investimentos para buscar potenciais compradores para algumas ou todas as suas usinas no Brasil, disse uma fonte familiarizada com os planos à Reuters.

BB Seguridade (BBSE3): A BB Seguridade, braço de seguros do Banco do Brasil, informou que Antônio Maurício Maurano apresentou, nesta terça, 27, pedido de renúncia aos cargos de diretor-presidente e de membro do conselho de administração, com efeito a partir de 28 de novembro de 2018. O conselho elegeu Werner Romera Süffert, atual diretor de gestão corporativa e relações com investidores, para substituir Maurano.

Petrobras (PETR4): A Petrobras informou após o pregão desta terça, 27, que em outubro sua produção total de petróleo e gás, incluindo líquidos de gás natural (LGN), foi de 2,66 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), sendo 2,54 milhões boed produzidos no Brasil e 119 mil boed no exterior.

Minerva (BEEF3): A Minerva, líder na América do Sul na exportação de carne bovina in natura e seus derivados, informou nesta terça, 27, após o pregão, que o Departamento de Agricultura Norte-Americano (USDA) divulgou no dia 26 que os Estados Unidos aprovou a retomada das importações de carne bovina in natura da Argentina.

Recomendação de ativos

IRB Brasil (IRBR3): Os analistas do Bradesco BBI elevaram o preço-alvo do IRB Brasil de R$ 67 para R$ 78. A recomendação neutra foi mantida.

Movida (MOVI3): A XP Investimentos iniciou a cobertura da Movida com recomendação de manutenção e preço-alvo de R$ 9,50.

Locamérica (LCAM3): Para a Locamérica, a XP optou por iniciar a cobertura com recomendação de compra e preço-alvo em R$ 38.

Notícias

Minério de ferro:  A sessão desta quarta-feira foi marcada, na bolsa de mercadorias de Dalian, na China, pela recuperação nos preços do minério de ferro após seguidas quedas. O ativo teve alta de 1,07%, encerrando o dia a 472,00 iuanes por tonelada.

Dólar: O dólar se mantém em trajetória de queda nesta quarta-feira (28), após ter interrompido na véspera uma sequência 5 altas seguidas, com nova intervenção do Banco Central e de olho no exterior. Às 9h23, a moeda dos EUA caía 0,45%, cotada a R$ 3,8592. (G1)

Agenda econômica

CapturadeTela2018-11-28às09.35.08

Deixe um comentário