ÍNDICES: Veja o comportamento dos principais mercados acionários

LinkedIn

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários globais na manhã desta quinta-feira (29).

Ao final, o índice Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 0,87% aos 26.451 pontos e o Shenzhen Composite ficou em queda de 2,21% a 1.325. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou estável a 9.885. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,58% a 5.758. O índice Kospi, Coreia do Sul, ficou em alta de 0,28% a 2.114. O índice FTSE Straits Times, bolsa de Singapura, ficou em alta de 0,48% a 3.109. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,39% aos 22.262. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 1,27% aos 36.170.

Na Ásia, as bolsas de ações da região fecharam sem direção única nesta quinta-feira. As influência positivas ficaram com os resultados de Wall Street nas negociações de ontem. As declaração do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, também deram alívio aos investidores da região. Ainda por lá, o foco segue para a reunião de cúpula do G-20 na Argentina, neste final de semana. O índice regional de ações MSCI Asia Pacific fechou a sessão de hoje com alta de 0,7%. Na região, apenas o Japão apresentou indicadores.

Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em alta de 0,36% aos 358.68, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) seguia em alta de 0,09% a 19.131; o Ibex 35 (Madri) estava em alta de 0,15% a 9.116; o DAX 30 (Frankfurt) estava em alta de 0,33% aos 11.335; o FTSE-100 (Londres) estava em alta de 0,65% a 7.049; o CAC 40 (Paris) seguia em alta de 0,63% a 5.014; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em alta de 0,16% a 4.877.

Na Europa, as bolsas operam no azul refletindo o sentimento positivo na expectativa de que o Fed poderá fazer uma pausa na alta dos juros. Em dia de indicadores para as principais economias da região e os problemas pontuais devem ficar no radar dos negociadores.

O S&P (futuros) estava em queda de 0,23% aos 2.735. O Dow Jones (futuros) seguia em queda de 0,13% aos 25.310. O Nasdaq (futuros) estava em queda de 0,43% aos 6.888.

O presidente do Fed, Jerome Powell afirmou que os juros básicos americanos estão “pouco abaixo” do chamado nível neutro, sugerindo que o ritmo do aperto monetário poderá desacelerar. Os mercados intensificaram a precificação da projeção de apenas duas altas do juro básico pelo Fed em 2019, ao invés de três altas previstas nas estimativas do próprio banco central. O dólar segue enfraquecido, com o DXY estável. Indicadores serão apresentados nos Estados Unidos.

Commodities

A Petrobras anunciou o preço do litro da gasolina e do diesel para esta quinta-feira (29) para as distribuidoras e sem tributos. O preço da gasolina permanece em R$1,5007 o litro.

A Petrobras divulgou nota nesta manhã explicando que o preço médio do diesel praticado pela companhia em suas refinarias e terminais passará a ser de R$ 1,7984 por litro, a partir de hoje até 15 de dezembro, uma redução de 15,3%, em decorrência da aplicação da metodologia estabelecida pela ANP através de resolução (743/2018).

O valor reflete a média aritmética dos preços de diesel rodoviário, sem tributos, praticados pela Petrobras em suas refinarias e terminais no território brasileiro. Este novo período do Programa de Subvenção continua a prever o ajuste nos preços médios regionais (Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Norte sem Tocantins e Nordeste com Tocantins).

O petróleo referência, Brent, segue em queda de 0,57% aos US$57,25 o barril negociado na bolsa de Futuros de Londres.

O petróleo WTI segue em queda de 1,37% e cotado aos US$50,99 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 0,24% aos US$66,51 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1.199,99,00, alta de 0,05%, a tonelada. A celulose fibra curta fechou a US$1.050,00 a tonelada, estável.

Cenário Interno

No cenário interno, a bolsa de valores de São Paulo opera em alta e o índice segue buscando os 90 mil pontos. A agenda doméstica chega com dados de peso, como o IGP-M de novembro, a Taxa de Desemprego, apurada pela pesquisa PNAD Contínua, a Confiança do Setor Industrial e de Serviços.

Os demais indicadores externos também devem pesar no sentimento dos investidores. O dólar comercial, por sua vez, segue em alta de 0,3% aos R$3,859 para a venda. Do lado político, Brasília segue movimentada com a reta final da divulgação de nomes da equipe de governo do presidente Jair Bolsonaro. Ainda está no foco central, o desenvolvimento de mais uma fase da Operação Lava Jato com a prisão do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão.

Agenda – 29-11

No Brasil, a FGV divulga a Sondagem da Indústria, o IGP-M, o PNAD Contínua e o Resultado Primário do Governo Federal. Nos Estados Unidos, o Deflator do PCE, Pedidos de Auxílio-Desemprego e a Ata do Fomc. Na Alemanha, a Taxa de Desemprego e o Indicador de Confiança na Economia. Na China, o PMI de Serviços e Composto e a Sondagem Industrial.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.