Ação da Taurus chega a cair mais de 20% após Bolsonaro cumprir promessa e flexibilizar posse de armas

LinkedIn

As ações preferenciais da fabricante de armas Taurus (BOV:FJTA4) reverteram os ganhos e recuavam nesta terça-feira, tendo perdido mais de 20% na mínima da sessão, marcada pela assinatura de decreto de flexibilização de posse de armas no país pelo presidente Jair Bolsonaro, uma de suas principais promessas de campanha.

Redigido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública e finalizado na Casa Civil, o novo decreto prevê o aumento do prazo para renovação da autorização de posse de arma de 5 para 10 anos e a ampliação de casos considerados para essa necessidade, como morar em área rural ou em cidades com mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes por ano.

Por volta das 14:45, os papéis estavam em leilão após caírem 9%, a R$ 7,55, com muitos investidores aproveitando para realizar lucros, após a cotação mais do que dobrar desde o começo do ano. Até a véspera, as preferenciais contabilizavam em 2019 um ganho de 104,94%. Mais cedo, o papel chegou a se valorizar 11,08%. Na mínima, até o momento, caiu 21,33%.

As ações ordinárias, que têm menos liquidez, caíam 12,25%, também em leilão, a R$ 7,81.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.