Ação da Taurus dispara na bolsa e sobe 30%; papel acumulou alta de 180% em 2018 depois de subir 1.000%

Google+ LinkedIn

As ações da Forjas Taurus (BOV:FJTA3), uma das maiores fabricantes de armas do mundo, dispararam hoje na bolsa B3 no primeiro pregão após a posse do presidente Jair Bolsonaro, um defensor do porte de armas. O papel ordinário (ON, com voto) subia 30,48% às 13h15, cotado a R$ 6,25, enquanto o preferencial (PN, sem voto) ganhava 25,9%, negociado a R$ 5,10. Os papéis se beneficiam das declarações do presidente que, dois dias antes de sua posse, prometeu um decreto facilitando a posse e o registro de armas pela população.

A empresa já vinha se beneficiando do favoritismo de Bolsonaro. Tanto que, no ano passado, foi a ação que mais subiu na bolsa brasileira, segundo levantamento realizado pela Economatica. O papel ordinário da empresa avançou 180% em 2018, enquanto o preferencial ganhou 131%, a 6ª maior alta.

Problemas e especulação

A empresa continua, porém, com seus problemas estruturais. Com prejuízos desde 2012, a empresa enfrentava dificuldades e endividamento elevado, e acabou ficando de lado das carteiras de indicações de analistas financeiros durante anos, também por problemas de governança que levaram a disputas entre os controladores e minoritários. Seus papéis eram negociados com preços perto de R$ 1,00, limite estabelecido pela bolsa para permitir a continuidade dos negócios no pregão. Ações nesse nível de preço em geral são alvo de constante especulação pois qualquer centavo já provoca ganhos ou perdas elevadas.

Papel bateu R$ 16,80 e recuou para R$ 4,70

Com a perspectiva de eleição de Bolsonaro, o volume negociado pela empresa disparou. As ações ordinárias saltaram de R$ 1,50 para R$ 16,80 na máxima do ano em 17 de outubro, ou cerca de 1.000% de valorização, recuando depois com a realização de lucros diante do exagero da alta. A ação preferencial, sem voto, subiu mais de 500% no ano, para R$ 12,00. Só em outubro, a ação ON da Forjas Taurus subiu 295% e a PN, 262%.

Para resolver essas questões, a empesa está sob nova gestão desde o início de 2018, sob comando de Salesio Nuhs.

Nos nove primeiros meses de 2018, a fabricante apresentou receita líquida de vendas de armas de R$ 613,6 milhões, um crescimento de 17,4% em relação ao mesmo período do ano de 2017. Mas sua alta hoje está mais calcada em apostas sobre as políticas de Bolsonaro do que em fatores econômicos e financeiros.

Sobre a Taurus

A Taurus é uma empresa estratégica de defesa, com 79 anos de história, sediada em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, e emprega mais de 1.800 pessoas no país e exporta para mais de 85 países. A companhia é a líder mundial na fabricação de revólveres e uma das maiores produtoras de pistolas do mundo, além de ser a quarta marca mais vendida no exigente mercado americano.  A Taurus possui um portfólio completo de produtos composto por revólveres, pistolas, submetralhadoras, fuzis, carabinas, rifles e espingardas, atendendo os mercados militar, policial e civil.

A Arena do Pavini é um espaço voltado para fornecer informação de valor e promover o aprendizado e a discussão dos principais temas relacionados à vida do investidor. O blog de notícias é pilotado por Angelo Pavini, renomado jornalista econômico, com mais de 20 anos de experiência na cobertura do mercado financeiro e de assuntos ligados a finanças pessoais.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.