BB e Caixa criam contas para doações a Brumadinho; polícia alerta para golpes

LinkedIn

O Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal definiram medidas emergenciais que ajudarão desabrigados, vítimas e familiares atingidos pelo rompimento da barragem localizada no município de Brumadinho.

As medidas incluem contas para depósito de doações para os atingidos, a liberação do Fundo de Garantida do Tempo de Serviço (FGTS) e suspensão por três meses do pagamento de parcelas de empréstimos. Ao mesmo tempo, as policias Militar e Civil de Minas Gerais alertaram para tentativas de golpes nas redes sociais disfarçadas de pedidos de doações para os atingidos pela tragédia.

No Banco do Brasil, a instituição abriu conta corrente em nome da Prefeitura de Brumadinho para receber doações: agência 1669-1, conta 200-3 (SOS Brumadinho), CNPJ 18.363.929/0001-40. O recurso será utilizado para necessidades urgentes da população local afetada.

O superintendente do BB em Minas, Luiz Cláudio Batista, afirmou que se reuniu com o prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo, para tratar a gestão dos recursos doados. O prefeito teria manifestado o desejo de uma gestão compartilhada e com a máxima transparência sobre a destinação dos recursos. E sugeriu a participação do Ministério Público.

Outra ação emergencial é o deslocamento de agência móvel do BB para reforçar o atendimento aos clientes na cidade. A agência móvel entrou em funcionamento hoje e irá reforçar o atendimento oferecido pela agência local, que não foi afetada pelo rompimento da barragem.

Já a Caixa Econômica Federal ofereceu para os clientes do município uma pausa especial de pagamento até 90 dias nas operações de Crédito Pessoal e Crédito Direto ao Consumidor (CDC), além de até 60 dias de carência para 1ª parcela em novos contratos. Haverá isenção de três meses também nas tarifas da cesta serviços para os correntistas.

Para as empresas da região, o banco concederá pausa de até três meses para pagamento das parcelas das operações de crédito e isenção de cesta de serviços pelo período de três meses para correntistas. No crédito habitacional, haverá pausa de até 90 dias nas prestações do financiamento imobiliário.

Agências receberão água e doações

Com relação ao atendimento, além de estender o horário das agências de Brumadinho e próximas ao município, a Caixa deslocou um Caminhão-agência, que trará reforço para o atendimento bancário na cidade a partir desta terça-feira (29). As Agências em Brumadinho, Betim, Contagem e as unidades de Belo Horizonte também funcionarão como ponto de recebimento de doações de água, material de higiene e limpeza.

A Caixa também abriu uma conta para que brasileiros de todo o país possam enviar ajuda aos atingidos pela tragédia. Os dados da conta poupança, com nome Juntos por Brumadinho, são: agência 2808, operação 013, conta 3-5.

Liberação do FGTS

Os trabalhadores que tiverem residência na área afetada poderão solicitar o saque do FGTS, conforme previsto na Lei 10.878/04. A referida lei autoriza a liberação de valores do Fundo em áreas atingidas por desastre natural a partir da decretação de estado de calamidade ou situação de emergência pelo Governo do Município ou do Estado e confirmação pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, providências já adotadas para o caso de Brumadinho.

A partir da delimitação da área efetivamente afetada pelo Governo Municipal/Defesa Civil, já em curso, a CAIXA procederá a liberação do FGTS, no limite máximo de R$ 6.220,00 por trabalhador.

Tentativas de golpe

As polícias militar e civil de Minas Gerais investigam pedidos de doações supostamente destinadas a vítimas do rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho. “Infelizmente, o serviço de inteligência da polícia militar, cruzando com a polícia civil, tem detectado em muitas mídias sociais aproveitadores”, informou o major Flávio Santiago.

“É sempre importante falar para a sociedade que busque a confiabilidade. Às vezes, um site parece ser verídico, mas não traz informações consistentes. É importante que as pessoas verifiquem.”

Durante coletiva de imprensa, ele reforçou que a Defesa Civil de Minas Gerais, neste momento, não precisa de doações, já que os esforços estão centrados na busca por sobreviventes e no resgate de corpos. A Vale está responsável por providenciar a hospedagem de cerca de 135 pessoas desabrigadas em hotéis e pousadas de Brumadinho.

“A defesa civil não precisa de nenhuma doação no momento. Isso é muito importante frisar. Ela não pede depósito, não pede dinheiro, não tem nenhuma conta para que isso seja compartilhado. Até porque, se tiver, estará no site oficial da Defesa Civil de Minas Gerais”, disse.

“Toda tentativa de estelionato, o serviço de inteligência faz o monitoramento e, com toda, certeza investiga. Nós, da Polícia Militar, do serviço de inteligência, detectamos e passamos para a polícia investigatória para dar sequência a este fato”, concluiu.

Com informações da Agência Brasil.

Deixe um comentário