Classificação das exportações brasileiras em janeiro de 2019 por mercado comprador

LinkedIn

Em termos de países, os cinco principais compradores das exportações brasileiras foram: China (US$ 4,069 bilhões), Estados Unidos (US$ 2,311 bilhões), Panamá (US$ 1,338 bilhão), Países Baixos (US$ 683 milhões) e Argentina (US$ 681 milhões).

O Panamá normalmente não figura entre os principais compradores mensais dos produtos brasileiros. Nesse mês, atingiu a posição de terceiro maior comprador em função da aquisição de uma plataforma para extração de petróleo.

Por mercados compradores, ampliaram-se as vendas para os seguintes destinos: América Central e Caribe (aumento de 296,9%, por conta de plataforma para extração de petróleo, soja em grãos, óleos combustíveis, óleo de soja refinado, perfis e fios de ferro/aço, torneiras, válvulas e partes, cobre em barras, perfis, fios, etc., éteres alcoólicos e derivados, motores e geradores elétricos, laminados planos de ferro/aço), Oceania (aumento de 81,0%, por conta de óleos combustíveis, celulose, máquinas e aparelhos p/terraplanagem, ônibus e outros veículos para mais de 10 pessoas, tratores), Ásia (aumento de 25,5%, sendo que a China cresceu +20,8%, para US$ 4,0 bilhões, por conta de petróleo em bruto, soja em grãos, ferro-ligas, fumo em folhas, algodão em bruto, celulose, catodos de cobre, óleos combustíveis, hidrocarbonetos e derivados halogenados, papel/cartão para escrita/impressão, madeira em estilhas, madeiras em bruto, minério de cobre), Oriente Médio (aumento de 11,2%, principalmente por aviões, motores e turbinas para aviação, partes de motores e turbinas para aviação, farelo de soja, minério de ferro, cobre em barras, perfis, fios, etc., tubos de ferro fundido, minério de manganês, celulose) e Estados Unidos (aumento de 2,1%, por conta de gasolina, semimanufaturados de ferro/aço, partes de motores e turbinas para aviação, laminados planos de ferro/aço, ferro fundido, óleos combustíveis, celulose, óxidos e hidróxidos de alumínio, máquinas e aparelhos para terraplanagem, polímeros plásticos, alumínio em barras, perfis, etc).

Por outro lado, diminuíram as vendas para o Mercosul (redução de 31,7%, sendo que para a Argentina diminuíram 43,7%, por conta de automóveis de passageiros, veículos de carga, tratores, autopeças, máquinas e aparelhos para terraplanagem, máquinas e aparelhos para uso agrícola, motocicletas, chassis com motor para automóveis, óleos combustíveis, polímeros plásticos), África (redução de 8,6%, em decorrência de açúcar em bruto, açúcar refinado, chassis com motor para automóveis, tubos de ferro fundido, óxidos e hidróxidos de alumínio, arroz em grãos, alumínio em barras, perfis, etc., máquinas e aparelhos p/terraplanagem, ferro-ligas), União Europeia (redução de 5,6%, por conta de petróleo em bruto, tubos flexíveis de ferro/aço, torneiras, válvulas e partes, ouro em formas semimanufaturadas, máquinas e aparelhos para terraplanagem, café em grãos, soja em grãos, tubos de ferro fundido, fumo em folhas, ferro-ligas).

Valor total das exportações brasileiras em janeiro de 2019

As exportações brasileiras somaram US$ 18,579 bilhões em janeiro de 2019, valor 5,00% inferior ao total de vendas ao exterior realizadas no mês anterior (US$ 19,556 bilhões) e 9,11% maior que a soma de vendas externas registradas em janeiro de 2018 (US$ 17,027 bilhões).

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.