Classificação das importações brasileiras em janeiro de 2019 por mercado fornecedor

LinkedIn

Em termos de países, os cinco principais fornecedores dos países importados pelo Brasil foram: China (US$ 5,148 bilhões), Estados Unidos (US$ 2,267 bilhões), Alemanha (US$ 893 milhões), Argentina (US$ 796 milhões) e Índia (US$ 433 milhões).

Por mercados fornecedores, na comparação janeiro 2019/2018, aumentaram as compras originárias dos principais mercados: Ásia (+45,2%, sendo que a China cresceu 81,0%, por conta de plataformas para extração de petróleo, compostos organo-inorgânicos, motores e geradores elétricos, fios de fibras têxteis sintéticas ou artificiais, laminados planos de ferro/aço, inseticidas, formicidas, herbicidas, etc, compostos heterocíclicos, circuitos integrados e microconjuntos eletrônicos, sulfato de amônio), África (+24,5%, por conta de petróleo em bruto, ureia mesmo em solução aquosa, alumínio em bruto, paládio em formas brutas ou semimanufaturadas em pó), Mercosul (+7,6%, sendo que da Argentina cresceu 9,5%, por conta de veículos de carga, trigo em grãos, gás propano liquefeito, leite e creme de leite, feijão preto em grãos, pneumáticos, aceleradores de reação, álcoois acíclicos e derivados, farinha de trigo, celulose, aquecedores, secadores e partes, ligas de alumínio em bruto, manteiga), Oceania (+1,4%, por conta de hulhas, produtos constituídos do leite, ácidos carboxílicos).

Por outro lado, diminuíram as compras originárias dos seguintes mercados: América Central e Caribe (-12,9%, por conta de gás natural liquefeito, instrumentos e aparelhos médicos, medicamentos para medicina humana e veterinária, artigos e aparelhos de próteses ortopédicas, circuitos integrados), Oriente Médio (-10,8%, por conta de petróleo em bruto, gás natural liquefeito, querosene de aviação, superfosfatos (adubos/fertilizantes), polímeros plásticos, chumbo em formas brutas, desperdícios e resíduos de cobre, ligas de alumínio em bruto, desperdícios e resíduos de cobre), Estados Unidos (-5,2%, por conta de óleos combustíveis, autopeças, gás propano liquefeito, partes e peças de aeronaves, soda cáustica, veículos e materiais para vias férreas, enxofre, compostos de funções nitrogenadas, veículos de carga, instrumentos e aparelhos de medida e aferição, máquinas e aparelhos para terraplanagem, etanol) e União Europeia (-5,1%, por conta de óleos combustíveis, medicamentos para medicina humana e veterinária, laminados planos de ferro/aço, construções e partes de ferro/aço, autopeças, gasolina, prensas para fabricação de painéis de madeira, motores para veículos e partes, instrumentos e aparelhos de medidas e aferição, máquinas de movimentação de carga, máquinas e aparelhos para fabricação de celulose/papel, aquecedores, secadores e partes).

Valor total das importações brasileiras em janeiro de 2019

Em janeiro de 2019, as importações brasileiras alcançaram a cifra de US$ 16,387 bilhões, valor 26,86% superior ao total de compras do exterior realizadas no mês anterior (US$ 12,917 bilhões) e 15,37% maior que a soma de compras externas registradas em janeiro de 2018 (US$ 14,203 bilhões).

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.