FipeZap amplia cobertura para 50 cidades e vê alta de preços de imóveis de 0,13% em janeiro

LinkedIn

A partir deste mês, o Índice FipeZap de preços de imóveis será divulgado com cobertura geográfica ampliada e metodologia atualizada. Passam a ser monitoradas agora 50 cidades brasileiras, entre as quais 16 capitais: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (BH), Brasília (DF), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Recife (PE), Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Vitória (ES), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Campo Grande (MS), Maceió (AL), e Manaus (AM).  Com essa expansão, o Índice FipeZap passa ter municípios de todas as cinco regiões do país.

Em sua primeira análise no novo formato, o Índice FipeZap de Venda Residencial encerrou o mês de janeiro de 2019 com variação de +0,13% na comparação com o mês anterior. O percentual é inferior à inflação esperada para o mês, de +0,38% (IPCA/IBGE), segundo aponta o Boletim Focus, do Banco Central. Com isso, o preço médio de venda de imóveis residencial encerraria o mês com queda real (-0,25%).

Perda real em 3,70% em 12 meses

Nos últimos 12 meses, o Índice FipeZap acumula ligeiro recuo nominal (-0,06%), resultado que o coloca o
preço médio de venda de imóveis residenciais perto da estabilidade no período. Como a inflação acumulada nos últimos 12 meses é de 3,76%, segundo o IPCA do IBGE, a variação real do Índice FipeZap no período foi de -3,70%, indicando queda real do preço médio de imóveis residenciais.

Cidades com maiores altas e baixas

Entre as 16 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, Curitiba apresentou a maior elevação de preço no mês (+1,27%), enquanto Campo Grande registrou a maior queda (-1,53%).
Já considerando 12 meses, Curitiba novamente se destaca com o maior aumento nominal de preço no período (+4,41%), sendo, inclusive, a única capital a superar a inflação do período. Já Maceió apresenta entre as demais capitais a maior queda de preços acumulada nos 12 meses encerrados em janeiro de 2019 (-5,32%).

Preço médio de venda

O preço médio de venda residencial do m² em janeiro de 2019 foi de R$ 7.174 entre as 50 cidades monitoradas pelo Índice. O município do Rio de Janeiro se manteve como a capital com o preço do m² mais elevado (R$ 9.474/m²), seguida por São Paulo (R$ 8.831/m²) e Brasília (R$ 7.243/m²). Já entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m², destacaram-se: Campo Grande (R$ 4.070/m²), Goiânia (R$ 4.214/m²) e Maceió (R$ 4.562/m²).

São Paulo tem alta de 1,93% em 12 meses

São Paulo registrou alta nos preços dos imóveis residenciais, de 0,31%, acelerando em relação ao 0,20% de dezembro. Em 12 meses, os preços subiram 1,93%, abaixo do IPCA do período, de 3,78%. No Rio de Janeiro, os preços dos imóveis caíram 0,14%, mais que o 0,03% de queda de dezembro, reforçando o cenário de crise provocado pelo déficit fiscal do Estado. Em 12 meses, os preços dos imóveis no Rio caíram em média 3,39%.

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.