Lucro líquido da Marcopolo salta 132,5% em 2018; empresa suspende distribuição de JCP

LinkedIn

O lucro líquido de 2018 da Marcopolo (BOV:POMO4) atingiu R$ 190,9 milhões, com margem líquida de 4,5%. A melhora na margem líquida é explicada pelos mesmos fatores apontados no EBITDA, tendo sido afetada negativamente pela variação cambial no período, conforme destacado acima.

O Ebitda alcançou R$ 362,1 milhões em 2018, com margem de 8,6%, contra R$ 119,7 milhões e margem de 4,2% em 2017.

“A recuperação da margem Ebitda em 4,5 pontos percentuais em relação a 2017 é explicada pelo maior volume e rentabilidade das exportações, auxiliadas pela desvalorização cambial do Real; pelo maior volume de rodoviários no mercado interno; pelo resultado da equivalência patrimonial da New Flyer, 37,8% superior ao mesmo período do ano passado; pelo controle de custos e despesas operacionais, fruto do trabalho na Companhia visando à redução dos mesmos; e, pela recuperação substancial dos resultados nas unidades Neobus e Marcopolo Rio”, explicou a Marcopolo.

No ano, o Ebitda foi afetado por eventos não recorrentes relativos à provisão para indenização de representantes comerciais (R$ 13,6 milhões) e o resultado negativo da equivalência decorrente da atualização monetária das demonstrações financeiras da Loma Hermosa (R$ 5,0 milhões). O Ebitda ajustado seria de R$ 380,7 milhões, com margem de 9,1% no período.

Empresa suspende distribuição de juros sobre capital

A Marcopolo, em reunião conjunta dos conselhos de administração e fiscal, aprovou na noite de sexta-feira que não irá acontecer a distribuição de proventos a seus acionistas nas modalidades dividendos complementares de 2018 e Juros sobre Capital Próprio (JCP) neste ano.

No caso dos dividendos relacionados ao exercício de 2018, considerando os valores de JCP imputados ao dividendo obrigatório declarado antecipadamente por conta do exercício de 2018 e já pagos pela companhia no começo do mês, que representou 44% do lucro líquido, superando dessa forma o valor mínimo legal que é de 25%, a decisão foi pela não distribuição de dividendos complementares.

Sobre os JCP relativos a 2019, a Marcopolo informa que, em função do projeto de otimização de plantas, que prevê investimentos relacionados ao encerramento das operações da fábrica de Planalto e conclusão do novo Centro de Fabricações, manteve manutenção da suspensão do programa de juros sobre o capital próprio em 2019.

Deixe um comentário