Nippon Steel corta em 6% previsão de lucro anual devido à produção menor

LinkedIn

Maior siderúrgica do Japão, a Nippon Steel & Sumitomo Metal Corp alertou nesta quarta-feira que seu lucro anual seria 6 por cento menor que o previsto anteriormente, citando a produção mais baixo de aço bruto no ano financeiro encerrado em 31 de março.

A empresa agora projeta seu lucro anual em 330 bilhões de ienes (3,01 bilhões de dólares), abaixo da previsão anterior de 350 bilhões de ienes sob o padrão contábil IFRS.

A Nippon Steel, terceira maior siderúrgica do mundo, também reduziu a estimativa para sua produção anual de aço bruto para 41,3 milhões de toneladas, de 42,1 milhões de toneladas, devido a problemas nas usinas.

“O problema reflete a qualidade mais baixa das matérias-primas”, afirmou o vice-presidente-executivo da Nippon Steel, Katsuhiro Miyamoto, em coletiva de imprensa, citando ainda as dificuldades em produzir itens de valor agregado que não podem ser processados nos mesmos volumes que metal de baixa qualidade.

Perguntado se a revisão da estimativa também se devia aos preços mais altos do minério de ferro após o rompimento da barragem da mineradora brasileira Vale no Brasil, Miyamoto disse que esse incidente não estava embutido, mas que as cotações maiores da matéria-prima podiam afetar os resultados no ano financeiro que se inicia em 1º de abril.

“Os preços à vista do minério de ferro subiram desde o colapso da barragem, mas os preços futuros estão em níveis mais baixos, sugerindo que os participantes do mercado esperam que o mercado se estabilize”, afirmou Miyamoto.

Os preços do minério de ferro atingiram a máxima em quase dois anos na segunda-feira.

O corte da projeção de lucro anual da Nippon Steel sucede revisões similares feitas por concorrentes como a JFE Steel, uma unidade da JFE Holdings, e a Kobe Steel.

As siderúrgicas japonesas desfrutam de uma sólida demanda doméstica de montadoras, bem como do setor de construção, que está movimentado com projetos para os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio.

Mas desastres naturais e falhas nas antigas instalações as impediram de produzir tanto aço quanto planejavam. Em um esforço para aumentar a produção, a Nippon Steel começará a operar um novo alto-forno, já construído em Wakayama, no oeste do Japão, em meados de fevereiro. O alto-forno substituirá outro de 31 anos, que é o mais antigo em operação no mundo.

Por Reuters 

Deixe um comentário