Petrobras guia alta do Ibovespa endossada por cena externa; BB Seguridade recua

LinkedIn

O tom positivo prevalecia na bolsa paulista nesta terça-feira, acompanhando o viés benigno em praças externas, diante de esperanças em torno de negociações comerciais entre Washington e Pequim, além de acordo preliminar nos Estados Unidos para evitar nova paralisação do governo norte-americano.

A perspectiva de que o presidente Jair Bolsonaro deixe o hospital ainda nesta semana corroborava os ganhos, em meio a apostas de viabilizará o andamento da agenda de reformas do governo, em particular a da Previdência.

Às 11:53, o Ibovespa subia 1,08%, a 95.433,67 pontos. O volume financeiro somava 3 bilhões de reais.

A alta ocorre após o Ibovespa recuar quase 1% na véspera, ampliando para 3% a queda nos primeiros dias de fevereiro.

Na visão do estrategista Dan Kawa, sócio na TAG Investimentos, expectativas mais positivas de um acordo entre os EUA e a China em relação a suas relações comerciais, além de avanços nas negociações no Congresso dos EUA, ajudam os ativos de risco nesta sessão.

Os futuros acionários norte-americanos também sinalizavam uma abertura positiva em Wall Street.

Autoridades norte-americanas chegaram à capital chinesa nesta terça-feira e terão discussões na quinta-feira e na sexta-feira com representantes do país, a fim de buscar um acordo antes do prazo de 1º de março e evitarem uma elevação das tarifas comerciais.

Ao mesmo tempo, na véspera, parlamentares nos EUA chegaram a um acordo preliminar sobre o financiamento de programas de segurança de fronteira, a fim de evitar outra paralisação parcial do governo a partir de sábado.

Destaques 

– Petrobras (PETR4) subia 2,9%, tendo de pano de fundo a alta de mais de 2% dos preços do petróleo no exterior. Analistas do UBS também elevaram a recomendação das ações para ‘compra’ e o preço-alvo para R$ 33 reai, de R$ 26 anteriormente.

– Vale (VALE3) avançava 1,7%, após queda na véspera, em um ambiente ainda volátil para as ações da companhia em razão de incertezas envolvendo os potenciais impactos da tragédia com o rompimento de uma barragem da mineradora em Minas Gerais.

– Bradesco (BBDC4) e Itaú Unibanco (ITUB4) mostravam elevação de cerca de 1,7 e 1,5% cada, em meio a tom mais positivo na bolsa, com Banco do Brasil (BBAS3) em alta de 2% e Santander (SANB11) valorizando-se 1,45%.

BB Seguridade (BBSE3) caía 3,3%, após balanço do quarto trimestre de 2018, com queda de 10,7% no lucro líquido ajustado em relação ao mesmo período do ano anterior, além de projeções para 2019, com estimativa de crescimento de 5 a 10% do lucro ajustado.

– Sabesp (SBSP3) recuava 5%. O Bradesco BBI cortou a recomendação da ação para ‘neutra’, citando um aparente desalinhamento entre os principais nomes do governo paulista em relação à potencial privatização da companhia, com possível efeito na também esperada capitalização da empresa.

Por Reuters 

Deixe um comentário

Esta área do website ADVFN.com é destinada para comentários e anáises individuais independentes. Estes blogs são administrados por autores independentes através de uma plataforma de alimentação comum, não representando as opiniões da ADVFN. A ADVFN não monitora, aprova, altera ou exerce controle editorial sobre estes artigos, não aceitando, portanto, ser responsabilizada por tais informações. As informações disponibilizadas no website ADVFN.com destina-se para sua informação em geral mas não, necessariamente, para suas necessidades particulares. As informações não constituem qualquer forma de recomendação ou aconselhamento por parte da ADVFN.COM.