Via Varejo abre o pregão em forte queda após anúncio do GPA

LinkedIn

A Via Varejo (BOV:VVAR3) iniciou o pregão desta quinta-feira (21) em forte queda após  o Grupo Pão de Açúcar (GPA) anunciar a venda de 3,09% de participação na rede de móveis e eletrodomésticos.

Às 10h23, a ação operava com queda de 3,65% cotada a R$ 5,02.

Com a venda, a participação do GPA será reduzida para 36,27%, equivalente a 40 milhões de ações ordinárias. Segundo a companhia, a operação vai ocorrer em 25 de fevereiro, no ambiente de negociação da B3.

“A companhia vem perseguindo a alienação do remanescente da participação acionária detida na Via Varejo para um investidor estratégico. Se as condições assim indicarem, o mesmo objetivo poderá ser alcançado através de operações disponíveis no mercado de capitais”, afirmou o GPA em comunicado ao mercado.

Para a corretora Mirae Asset, as ações da VVAR3 podem sofrer em bolsa “mas esperamos que a empresa continue se reestruturando e que seja beneficiada pela ligeira melhora da economia em 2019”. A recomendação dos analistas é de compra, com preço-alvo em R$ 6,65.

Já os analistas do Itaú BBA reiteraram a recomendação outperform e preço alvo de R$ 6,5 para o final de 2019. Segundo a equipe de análise, a recomendação foi mantida graças aos resultados fracos reportados pela companhia durante o 4º trimestre de 2018.

Resultados em linha com o esperado

A Via Varejo reportou prejuízo líquido de R$ 276 milhões em 2018. Um ano antes, a dona das marcas Casas Bahia e Ponto Frio registrou lucro líquido de R$ 168 milhões.

No 4º trimestre de 2018, o prejuízo líquido foi de R$ 279 milhões, revertendo lucro líquido de R$ 111 milhões no mesmo período de 2017.

No balanço, a empresa aponta que, apesar do crescimento das vendas, o prejuízo do 4T18 foi impactado pela menor margem bruta no período e por outras despesas operacionais, resultantes da reestruturação realizada na empresa.

“Além do profundo processo de transformação que passamos em 2018, o ano foi marcado por eventos macroeconômicos que influenciaram negativamente o padrão de consumo da população (greve dos caminhoneiros, copa do mundo e eleição) e, consequentemente, a Via Varejo dentro de seu processo de transformação. Tivemos ganho de market share em 2018 e construímos ferramentas que nos possibilitarão ganhar ainda mais em 2019”, informou a Via Varejo no balanço.

Para a equipe do Itaú BBA, os resultados fracos no 4T18 foram causados pelas vendas fracas tanto no canal B&M quanto no canal on-line, além de uma deterioração significativa da margem bruta em termos anuais.

Comentários

  1. NelsiTellesdaSilva diz:

    Então já trabalhei na Via varejo casas Bahia mais agora não faço parte da equipe mais não gostaria que acabasse a via varejo .um abraço

Deixe um comentário