Apple lança plataforma de vídeos, aplicativo de notícias e cartão de crédito

LinkedIn

A Apple anunciou nesta segunda-feira (25) um serviço de streaming de vídeo, o Apple TV+, além de mudanças no aplicativo de TV da empresa.

Segundo a Apple, o serviço estará disponível on-line e off-line em mais de 100 países a partir do final de setembro. Os locais específicos que poderão acessar esses conteúdos e o preço não foram anunciados.

Os conteúdos originais da Apple vão funcionar de maneira semelhante a concorrentes como Netflix, Amazon Prime Video e Warner Media, que detém a HBO, via streaming de séries e filmes.

Um dos exemplos é o Morning Show, que tem no elenco Steve Carrell, Jennifer Aniston e Reese Witherspoon. Oprah Winfrey, uma das maiores apresentadoras dos EUA, também terá um programa no serviço de streaming.

A novidade é a maneira de a empresa focar no fornecimento de serviços, um segmento que atingiu um recorde US$ 10,9 bilhões no último trimestre do ano passado, um aumento de 19% em relação a 2017. A empresa já tinha serviços de pagamento, como Apple Pay e de música. Agora, expande o portfólio.

Como fica o aplicativo Apple TV?

A Apple já tem um aplicativo de TV, onde estão agregados conteúdos disponíveis no iTunes, por exemplo. Essa plataforma não vai acabar, mas vai passar por mudanças a partir de maio.

O Apple TV vai concentrar diversos conteúdos, como HBO, ShowTime, Prime Video e até assinaturas de televisão a cabo — dependendo dos serviços que o usuário tenha assinado.

A mudança vai permitir assistir ao conteúdo feito em diferentes lugares dentro de uma só plataforma, sem a necessidade de trocar de aplicativo. Para isso, a Apple anunciou a expansão do app de TV para todos os dispositivos da empresa, bem como para SmarTVs Samsung, LG, Sony e até para o FireTV, da Amazon.

Aplicativo de notícias

O presidente da Apple, Tim Cook, também apresentou um serviço de notícias, chamado Apple News+, com mais de 300 revistas, além de jornais como Los Angeles Times e Wall Street Journal. O serviço funcionará no Apple News, aplicativo de notícias da empresa lançado há 3 anos.

Disponível apenas nos Estados Unidos e Canadá, o Apple News+ custa US$9,99 e dá acesso livre aos jornais e revistas no sistema. O aplicativo será lançado até o final do ano na Austrália e no Reino Unido também. Não há data para ser disponibilizado no Brasil.

O aplicativo tem foco no design das revistas, permitindo às publicações pensar em maneiras de disponibilizar conteúdo personalizado no serviço.

Cartão de crédito

A empresa também aproveitou o evento para anunciar um novo serviço dentro do sistema de pagamentos Apple Pay. O Apple Card é um cartão de crédito lançado em parceria com o banco Goldman Sachs nos EUA e a operadora Mastercard.

De acordo com Cook, a Apple irá passar a marca de 10 bilhões de pagamentos este ano, e agora pretende trazer uma parte dessas transações para dentro do sistema.

A Apple promete menores taxas de juros, mais segurança e privacidade com seu cartão de crédito. Há também uma promessa de focar em melhorar a educação financeira do usuário: a empresa afirma que será possível ver a localização de cada uma das compras e também o nome do local de compra, evitando confusões na fatura.

O serviço também terá relatórios semanais e mensais de gastos, além de facilidade na solicitação do cartão. A Apple também anunciou um programa de retorno de dinheiro, com 2% de “cashback” diária. Em produtos da Apple e serviços o retorno chega a 3%.

Arcade

De acordo com Tim Cook, 1 bilhão de jogos já foram baixados pela App Store, que tem mais de 300.000 jogos disponíveis, grátis e pagos.

Pensando em melhorar a difusão dos jogos pagos, a Apple anunciou uma assinatura para games na App Store, que agora ganha uma seção chamada Arcade. Será possível jogar pelo iPhone, iPad e também pelo Mac.

O serviço irá garantir acesso a mais de 100 jogos exclusivos, que não estão em nenhuma outra plataforma, segundo a Apple. O Arcade estará disponível a partir de setembro em mais de 150 países. O preço ainda não foi disponibilizado.

Esse é um mercado que tem recebido grande atenção: na semana passada o Google já havia anunciado um serviço de streaming de videogame: chamado de Stadia, ele funciona pelo navegador Google Chrome.

Por G1

Deixe um comentário