Quem vai levar a Ferrovia Norte-Sul, Rumo ou Vale?

LinkedIn

Por Eduardo Guimarães, da Levante

O governo fará o leilão da Ferrovia Norte-Sul (FNS) nesta  quinta-feira (28/03) na B3. A ferrovia tem 1.530 quilômetros de extensão. O valor mínimo de outorga é de 1,4 bilhão de reais e o investimento total previsto é 2,8 bilhões de reais.

Apenas duas empresas se habilitaram para participar do leilão: a Rumo Logística (RAIL3) e a VLI, que tem como acionistas Vale (VALE3), Mitsui, Brookfield e FI-FGTS.

E Eu Com Isso?

Acreditamos que a concorrência no leilão da ferrovia não será tão grande quanto a do leilão dos aeroportos, pois o risco regulatório da ferrovia é mais alto. O fato do governo ter sido responsável pela obra é considerado um fator de risco para os investidores.

Evento importante a ser monitorado na próxima quinta-feira. Acreditamos que a Rumo está bem posicionada para fazer uma oferta, com baixo nível de endividamento (relação dívida líquida/Ebitda de 2,2x em dezembro de 2018).

No caso de a Rumo ser a empresa vencedora do leilão, acreditamos que a aquisição poderá ser considerada “defensiva”, com geração de valor para os seus acionistas e, portanto, com impacto positivo para o preço das ações no curto prazo.

Entretanto, o consórcio da VLI parece ser o favorito a levar a ferrovia Norte-Sul, pois a operação da VLI já está interligada. A operação da ferrovia à sua rede seria imediata, ao passo que a Rumo precisaria fazer mais investimentos para ligar a sua malha ferroviária.

Material produzido pela Levante Investimentos.

Deixe um comentário