AES Tietê compra complexo eólico da Renova

LinkedIn

A Aes Tietê Energia (BOV:TIET11) informou em fato relevante na noite desta terça-feira(09), que celebrou com a Renova Energia (RNEW11) um contrato para a compra da totalidade da participação acionária representativa do capital social das sociedades de propósito específico que compõem o Complexo Eólico Alto Sertão III, bem como determinados projetos eólicos em desenvolvimento de titularidade da Renova.

O Complexo Eólico Alto Sertão III é formado por uma “Fase A”, com capacidade de 438 MW em fase pré-operacional e por uma “Fase B”, com capacidade de 305 MW.

“Faz parte da Operação o já mencionado pipeline de cerca de 1.100 MW. O valor acordado para a aquisição é de até R$ 350 milhões para a Fase A, incluído o pagamento dos créditos vencidos do complexo, de até R$ 90 milhões para a Fase B, e de até R$ 76 milhões pelo Pipeline, neste último caso a depender de processo de due diligence confirmatório”, afirmou a AES Tietê em comunicado.

Os valores acordados estão sujeitos a ajustes usuais neste tipo de operação, inclusive pela variação do capital de giro, além de possíveis acréscimos na forma de “earn out” se o desempenho da primeira fase exceder a referência assumida pelo projeto.

A companhia informou que assumirá a dívida financeira do projeto, estimada no valor de R$ 988 milhões.

Depois da conclusão da operação, a AES Tietê vai convocar uma assembleia geral extraordinária (AGE) para deliberar sobre a aprovação da transação. Os acionistas dissidentes terão direito de recesso equivalente a R$ 0,77 por ação ou R$ 3,87 por unit, sendo cada unit formada por 4 ações preferenciais e 1 ação ordinária de emissão da companhia.

“Após a conclusão da Operação, a AES Tietê dará um grande passo na execução de sua estratégia de diversificação do portfólio a partir da adição de capacidade de geração renovável. Essa Operação trará um caminho sustentável de crescimento no curto (Fase A), médio (Fase B) e longo prazo (Pipeline) para a companhia”, destacou.

A companhia de geração de energia deve ainda retomar uma oferta subsequente de ações (“follow-on”), segundo fontes com conhecimento da situação. A AES Tietê vinha preparando a operação ano passado, quando fez sua primeira oferta pelo complexo de geração eólica da Renova, mas acabou sendo suspensa depois que as negociações para compra do ativo esfriaram. Na época, a empresa pretendia levantar quase R$2 bilhões para quitar a operação e fazer investimentos, segundo o jornal Valor Econômico.

No caso da Renova, a venda do ativo será fundamental para que a companhia evite a falência. A primeira proposta da AES Tietê, apresentada no fim de 2018, foi rejeitada pelo seu conselho de administração. As sócios da companhia, Cemig e Light, elaboraram uma reestruturação societária que vai permitir a saída da RR Comercialização de Energia e Participações, do empresário Renato Amaral, sem exigir desembolsos para isso.

Cemig e Light vão comprar ações da Renova hoje em titularidade de um fundo da RR e que representam cerca de 17% da companhia. O pagamento de cerca de R$ 107 milhões será feito por meio de debêntures que serão emitidos pela própria Renova e subscritos pela Light e pela Cemig, no contexto de um reperfilamento da dívida da empresa de energia renovável com as duas sócias.

A Renova ficará com uma carteira de 6 mil MW de projetos desenvolvidos, e poderá executá-los quando houver condições de mercado adequadas para isso.

 

Deixe um comentário