Celesc (CLSC3 e CLSC4) teve prejuízo de R$ 17.26 milhões no 4º trimestre de 2018

LinkedIn

A companhia Celesc anunciou um prejuízo líquido de R$ 17.26 milhões no 4º trimestre de 2018, resultado bem inferior ao lucro líquido apurado no mesmo período do ano anterior (R$ 4.95 milhões). Já a receita líquida da companhia diminuiu 14,01% de um ano para o outro, passando de R$ 1.96 bilhões no 4º trimestre de 2017 para R$ 1.69 bilhões no 4º trimestre de 2018.

Os ativos totais da Celesc (BOV:CLSC4) totalizaram R$ 9.85 bilhões no 4º trimestre de 2018, soma 8,77% maior que o saldo de R$ 9.06 bilhões registrado no encerramento do mesmo período do ano anterior.

O patrimônio líquido da companhia, por sua vez, apresentou retração de 2,25%, ao comparar todos os valores contábeis que os seus sócios possuíam no fechamento do 4º trimestre de 2018 (R$ 1.8 bilhão) com a mesma data em 2017 (R$ 1.84 bilhão).

Todos estes dados referem-se à consolidação do resultado financeiro da companhia Celesc (BOV:CLSC3 e BOV:CLSC4) com o resultado financeiro de todas as suas companhias subsidiárias (empresas controladas, de maneira direta ou indireta, pela companhia) relacionadas ao 4º trimestre de 2018.

Resultado da Celesc em 2018

Nos doze meses de 2018, a companhia Celesc (BOV:CLSC3) acumulou um lucro líquido de R$ 165.03 milhões – desempenho inferior ao valor médio dos cinco anos anteriores (R$ 173.09 milhões), quando a empresa teve uma retração média de 24,69% por ano.

Ainda considerando o ano de 2018, a receita líquida da empresa totalizou R$ 7.66 bilhões. Essa soma foi maior que o valor médio dos últimos cinco anos (R$ 6.83 bilhões), quando a receita líquida da companhia Celesc cresceu, em média, 5,09% por ano.

Acesse o balanço financeiro completo desta companhia, clicando aqui. Não deixe de conferir também seus indicadores fundamentalistas, clicando aqui.

Conheça a Celesc

A Centrais Elétricas de Santa Cantarina S/A – Celesc é uma sociedade de economia mista que atua desde 1955 nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia. Durante esse período, consolidou-se como uma das maiores empresas do setor elétrico brasileiro.

Em 2006, atendendo ao modelo preconizado pela legislação do setor elétrico nacional, a empresa foi estruturada como holding, com duas subsidiárias integrais: a Celesc Geração S/A e a Celesc Distribuição S/A. As três empresas empregam cerca de três mil profissionais.

holding detém ainda o controle acionário da companhia de Gás de Santa Catarina – SCGAS, e participações acionárias nas empresas Dona Francisca Energética S/A – DFESA, Empresa Catarinense de Transmissão de Energia Elétrica – ECTE, Companhia Catarinense de Água e Saneamento – CASAN, e Usina Hidrelétrica Cubatão S/A, além de outras pequenas participações acionárias.

Usuários ADVFN acompanham, gratuitamente e em tempo real, a cotação de todas as ações negociadas na BM&FBOVESPA através das ferramentas Monitor, Cotação e Gráfico.

Deixe um comentário