Pnad: Brasil encerrou Fevereiro de 2019 com 92,127 milhões de pessoas empregadas

LinkedIn

O número de pessoas ocupadas foi estimado em aproximadamente 92,1 milhões no trimestre de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019. Essa estimativa apresentou redução de -1,1%, ou seja, um redução de 1.062 mil pessoas em relação ao trimestre anterior (setembro a novembro de 2018). Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior (dezembro de 2017 a fevereiro de 2018) este indicador apresentou variação positiva (1,1%), quando havia no Brasil 91,1 milhões de pessoas ocupadas, representando um adicional de 1.036 mil pessoas.

O nível da ocupação (indicador que mede o percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar) foi estimado em 53,9% no trimestre de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, apresentando uma redução de -0,8 ponto percentual frente ao trimestre de setembro a novembro de 2018 (54,7%). Em relação a igual trimestre do ano anterior, este indicador não apresentou variação estatisticamente significativa.

Clique aqui e confira mais detalhes sobre a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) realizada em fevereiro de 2019.

População na força de trabalho

O contingente na força de trabalho (pessoas ocupadas e desocupadas), no trimestre de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, foi estimado em 105,2 milhões de pessoas. Observou-se que esta população permaneceu estável quando comparada com o trimestre de setembro a novembro de 2018. Frente ao mesmo trimestre do ano anterior houve expansão de 1,0% (acréscimo de 1,0 milhão de pessoas).

Taxa de participação na força de trabalho

A taxa de participação da força de trabalho (indicador que mede o percentual de pessoas da força de trabalho na população em idade de trabalhar) foi estimada em 61,6% no trimestre de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, uma redução de -0,3 ponto percentual frente ao trimestre de setembro a novembro de 2018 (61,8%). Em relação a igual trimestre do ano anterior (61,6%), o cenário foi de estabilidade.

Posição na ocupação e categoria de emprego

O contingente de empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada (exclusive trabalhadores domésticos), estimado em 33,0 milhões de pessoas, apresentou estabilidade frente ao trimestre anterior (setembro a novembro de 2018). No confronto com o trimestre de dezembro de 2017 a fevereiro de 2018, houve, também, estabilidade.

No período de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, a categoria dos empregados no setor privado sem carteira de trabalho assinada (11,1 milhões de pessoas) apresentou uma redução de -561 mil pessoas. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior foi registrado elevação de 3,4%, representando um adicional estimado de 367 mil pessoas.

Na categoria dos trabalhadores por conta própria, formada por 23,8 milhões de pessoas, foi observada estabilidade na comparação com o trimestre anterior (setembro a novembro de 2018). Em relação ao mesmo período do ano anterior, o indicador, neste trimestre, apresentou elevação (2,8%), representando um adicional estimado de 644 mil pessoas.

No período de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, a categoria dos empregadores (4,5 milhões de pessoas) apresentou estabilidade em relação ao trimestre anterior. Em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, foi registrada elevação de 4,2%, representando um adicional estimado de 183 mil pessoas.

A categoria dos trabalhadores domésticos, estimada em 6,2 milhões de pessoas, apresentou estabilidade no confronto com o trimestre de setembro a novembro de 2018. Frente ao trimestre de dezembro de 2017 a fevereiro de 2018, o cenário, assim como na comparação trimestral, foi de estabilidade.

O grupo dos empregados no setor público (inclusive servidores estatutários e militares), estimado em 11,3 milhões de pessoas, apresentou queda de -3,8% frente ao trimestre anterior. Ao se comparar com o mesmo trimestre do ano anterior não houve variação estatisticamente significativa.

Grupamentos de atividade

A análise do contingente de ocupados, segundo os grupamentos de atividade, do trimestre móvel de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, em relação ao trimestre de setembro a novembro de 2018, mostrou aumento no grupamento de Transporte, armazenagem e correio (2,8%, ou mais 133 mil pessoas). Houve redução nos seguintes grupamentos: Indústria (1,7%, ou menos 198 mil pessoas), Construção (2,3%, ou menos 155 mil pessoas) e Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (3,5%, ou menos 574 mil pessoas).

Na comparação com o trimestre de dezembro de 2017 a fevereiro de 2018 foi observado aumento nos grupamentos: Transporte, armazenagem e correio (5,4%, ou mais 245 mil pessoas), Alojamento e alimentação (3,9%, ou mais 205 mil pessoas) e Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (3,0%, ou mais 466 mil pessoas). Os demais grupamentos não apresentaram variação significativa.

Entenda a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad)

Para a realização da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), o Instituto de Pesquisa de Geografia e Estatística (IBGE) considerou como População em Idade Ativatodas as pessoas com 14 (catorze) anos ou mais, residentes nos cerca de 3.500 (três mil e quinhentos) municípios avaliados.

A parcela da População em Idade Ativa considerada com força para trabalho compõe a População Economicamente Ativa que, por sua vez, é classificada em dois grupos: População Ocupada e População Desocupada.

A População Ocupada é composta por todas as pessoas que trabalharam durante o mês de referência da pesquisa por pelo menos uma hora completa em trabalho remunerado ou em trabalho sem remuneração direta em ajuda à atividade econômica de membro do domicílio. Também fazem parte da População Ocupada aquelas pessoas que tinham trabalho remunerado do qual estavam temporariamente afastadas durante o período da pesquisa. O Nível de Ocupação é calculado pela proporção de pessoas ocupadas em relação às pessoas em idade de trabalhar.

A População Desocupada é composta por todas as pessoas sem trabalho, mas que tomaram alguma providência efetiva para consegui-lo durante o mês de referência da pesquisa. A Taxa de Desocupação é calculada pela proporção de pessoas desocupadas em relação às pessoas economicamente ativas.

Deixe um comentário