Ações da Natura estão em realização na B3 depois do negócio com a Avon

LinkedIn

Os papéis da Natura (BOV:NATU3) estão em queda na sessão desta quinta-feira da bolsa de valores de São Paulo, depois da forte valorização de ontem quando as ações ordinárias – ON – encerraram em 9,43%, e ainda sob os rumores de que o negócio com a americana Avon Products Inc. seria divulgado. O anúncio oficial ocorreu logo depois do fechamento dos mercados do Brasil e Nova York, quando os ADRs da Avon Products Inc. subiram 1,72%.

Hoje, em teleconferência, a gigante brasileira detalhou a operação do comunicado apresentado à Comissão de Valores Mobiliários – CVM nesta quarta-feira (22).

Logo depois da aprovação dos órgãos reguladores dos dois países e também dos acionistas, a Natura &Co, com a troca de ações com a Avon Products, Inc.,  cria o quarto maior grupo exclusivo de beleza no mundo ao unir empresas de forte compromisso com a geração de impacto social positivo.

Com receita bruta de US$10 bilhões, mais de 40 mil colaboradores e presença em cem países será um grupo multimarca e multicanal, com acesso a mais de 200 milhões de consumidores por meio de consultoras e representantes, lojas de varejo, plataformas digitais e e-commerce para diferentes perfis.

A combinação cria um grupo de excelência em cosméticos por meio das mais de 6,3 milhões de representantes e consultoras da Avon e da Natura, presença geográfica global, com 3,2 mil lojas, e uma crescente força digital.

A Avon e a Natura foram fundadas por pessoas movidas por propósitos, atendendo consumidores por meio de uma rede de microempreendedoras independentes, que atuam como embaixadoras das marcas e consultoras de beleza. A Avon, marca com tradição de mais de 130 anos, é a principal plataforma de vendas diretas de produtos de beleza no mundo.

Segundo Roberto Marques, presidente executivo do Conselho de Natura &Co, após as aquisições da Aesop em 2013 e da The Body Shop em 2017, Natura &Co está dando um passo decisivo para construir um grupo global, multimarca e multicanal, orientado por propósito. “A Avon é uma empresa incrível, uma marca icônica, com colaboradores dedicados e mais de cinco milhões de representantes que também acreditam no poder das relações. É um testemunho do progresso de nossos esforços de transformação da empresa, e acreditamos que isso permitirá acelerar significativamente nossa estratégia e expandir ainda mais nossa operação para o canal online“, disse no comunicado.

O “namoro” entre as duas gigantes começou no ano passado e com o propósito de fortalecer a competitividade das marca. “Tanto a Avon quanto a Natura são organizações orientadas por propósito, e a combinação nos permitirá melhor atender nossas milhões de representantes, alavancando a presença internacional da Avon com o mesmo forte comprometimento de melhorar a experiência e a renda da Revendedora”, afirma Jan Zijderveld, CEO da Avon.

Negócio e as criação da Holding

Como parte desta transação, foi criada uma nova holding brasileira, Natura Holding S.A. Com base na relação de troca fixa de 0,300 ação de Natura Holding para cada ação da Avon, os acionistas de Natura &Co ficarão com 76% da companhia combinada, enquanto os acionistas da Avon terão aproximadamente 24%. Com base no preço de fechamento da Natura não influenciado por rumores de mercado, em 21 de março de 2019, um dia antes da data em que foi divulgado Fato Relevante confirmando as negociações entre Avon e Natura, a transação representa um prêmio de 28% para os acionistas da Avon e implica um múltiplo Ebitda de 9,5 vezes, ou de 5,6 vezes, presumindo o impacto total das sinergias esperadas.

Mercado de Capitais

Com base nos preços de fechamento de 21 de maio, a transação avalia o enterprise value da Avon em US$ 3,7 bilhões, e o grupo combinado em aproximadamente US$ 11 bilhões. Após o fechamento da transação, as ações de Natura Holding S.A. serão listadas na B3, com 55% do capital em circulação, além de ADRs listadas na NYSE. Os acionistas da Avon terão a opção de receber ADRs negociados na NYSE ou ações listadas na B3.

Depois da conclusão da aquisição, o Conselho de Administração da empresa combinada será composto por 13 membros, três dos quais serão designados pela Avon. A transação permanece sujeita às condições finais habituais, incluindo a aprovação tanto pelos acionistas da Natura quanto da Avon, assim como das autoridades antitruste no Brasil e outras jurisdições. A conclusão da operação é esperada para o início de 2020.

A Natura &Co foi assessorada por UBS Investment Bank e Morgan Stanley e Avon foi assessorada por Goldman Sachs. Os membros do Conselho de Administração da Avon também foram assessorados financeiramente por PJT Partners.

As ações da Natura ON estão em queda de 8,18% na B3.

Deixe um comentário