Gerdau salta quase 3% após balanço apresentar melhor Ebitda do 1º tri em 11 anos

LinkedIn

A Gerdau (BOV:GGBR4) divulgou nesta quarta-feira (8) lucro líquido ajustado de R$ 453 milhões no primeiro trimestre, acréscimo de apenas 1% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Nos primeiros três meses do ano, contudo, o volume de aço produzido recuou 19,7%, para 3,343 milhões de toneladas, e as vendas caíram 22,9%, para 2,985 milhões de toneladas. Segundo a companhia, isso ocorreu em razão dos desinvestimentos de operações no Chile, na Índia e de grande parte das unidades de vergalhão e da unidade de fio-máquina nos Estados Unidos, concluídos em 2018.

A receita líquida caiu 3,5%, para R$ 10,026 bilhões, enquanto o custo de vendas recuou 14%, para R$ 129 milhões, e as despesas gerais e administrativas tiveram redução de 11,5%. A margem bruta passou de 12,9% para 12,7% entre os primeiros trimestres de 2018 e 2019.

O resultado operacional medido pelo Ebitda foi o melhor para o período dos últimos 11 anos. O grupo siderúrgico teve lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de R$ 1,55 bilhão, crescimento de 4,6% na comparação com o primeiro trimestre de 2018. A margem Ebitda subiu de 14,3% para 15,5%, conforme o material de divulgação do balanço.

Em relação ao Ebitda, a América do Norte mostrou expansão de 104%, enquanto Brasil teve queda de 10,3%, América do Sul registrou baixa de 16% e Aços Especiais apurou decréscimo de 24,4%.

A companhia fechou o primeiro trimestre do ano com dívida líquida de R$ 12,461 bilhões, ante R$ 11,582 bilhões no fim de 2018. A relação entre dívida líquida e Ebitda ficou em 1,8 vez ante 1,7 vez na posição de 31 de dezembro de 2018.

Reação do Mercado

A equipe de análise do Itaú BBA consideram que a empresa reportou resultados sólidos. No caso do Ebitda, que superou as expectativas, a equipe afirmou em nota a clientes que tal desempenho é explicado principalmente pelos resultados mais fortes do que o esperado nos EUA.

Já a Coinvalores destaca que os números da companhia foram resilientes neste início de ano, apesar do cenário mais desafiador no mercado doméstico, com crescimento econômico ainda fraco e alta no preço de matérias-primas.

Com isso, a Gerdau opera com forte valorização na parte da manhã desta quarta-feira, avançando 2,95% a R$ 14,64, se destacando assim entre as maiores altas do Ibovespa.

 

Deixe um comentário