Setor de Serviços: São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso apresentaram as maiores retrações em Março de 2019

LinkedIn

Regionalmente, a maior parte (16) das 27 unidades da federação assinalaram retração no volume dos serviços em março de 2019, na comparação com o mês imediatamente anterior, acompanhando a retração de 0,7% observada no Brasil – série ajustada sazonalmente. Entre os locais que apontaram resultados negativos nesse mês, destaque para São Paulo (-0,9%), Rio Grande do Sul (-4,0%) e Mato Grosso (-7,7%), com o primeiro devolvendo o avanço (0,7%) do mês anterior; o segundo alcançando a quinta taxa negativa seguida, com perda acumulada de 6,2%; e o último acumulando retração de 14,9% entre fevereiro e março. Em contrapartida, o principal resultado positivo em termos regionais veio do Rio de Janeiro (1,0%), que recuperou parte da perda observada em fevereiro último (-3,0%).

Na comparação com igual mês do ano anterior, o recuo do volume de serviços no Brasil (-2,3%) foi acompanhado por 23 das 27 unidades da federação. A principal influência negativa ficou com Rio de Janeiro (-7,4%), com a maior parte (4) dos cinco setores pesquisados mostrando recuo no volume de serviços, com destaque para as perdas observadas em serviços de informação e comunicação (-16,4%), seguido pelos transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (-4,1%), serviços profissionais, administrativos e complementares (-7,4%) e outros serviços (-1,4%). Vale citar ainda os recuos vindos do Paraná (-6,7%), do Rio Grande do Sul (-6,2%) e de Minas Gerais (-3,6%). Por outro lado, a contribuição positiva mais importante para a formação do índice global veio de São Paulo (1,4%), que apontou expansão em três das cinco atividades investigadas, com destaque absoluto para os ganhos dos serviços de informação e comunicação (9,9%).

No acumulado de janeiro a março de 2019, frente a igual período do ano anterior, o avanço do volume de serviços no Brasil (1,1%) se deu de forma concentrada entre os locais investigados, já que apenas 11 das 27 unidades da federação também mostraram expansão na receita real de serviços. O principal impacto positivo em termos regionais ocorreu em São Paulo (4,6%). Por outro lado, Rio de Janeiro (-4,2%) registrou a influência negativa mais relevante sobre índice nacional, seguido por Paraná (-2,7%), Ceará (-5,7%) e Rio Grande do Sul (-2,0%).

Setor de Serviços no Brasil em Março de 2019

Em março de 2019, o volume de serviços no Brasil mostrou retração de 0,7% frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, acumulando, assim, perda de 1,7% nos três primeiros meses do ano e eliminando a expansão observada entre outubro e dezembro de 2018 (0,9%). Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o total do volume de serviços, ao recuar 2,3% em março de 2019, interrompeu uma sequência de sete taxas positivas nesse tipo de confronto, e registrou a queda mais intensa desde maio de 2018 (-3,8%).

No indicador acumulado de janeiro a março de 2019 (1,1%), o volume de serviços mostrou ganho de dinamismo frente ao encerramento do terceiro (0,7%) e quarto (0,9%) trimestres de 2018. A taxa anualizada, indicador acumulado nos últimos doze meses, ao passar de 0,7% em fevereiro para 0,6% em março de 2019, interrompeu a trajetória predominantemente ascendente observada desde abril de 2017 (-5,1%).

Clique aqui para saber mais sobre o desempenho do setor de serviços brasileiro em Março de 2019.

Deixe um comentário