Coinroom: Exchange polonesa some com fundos de clientes

LinkedIn

A exchange de criptomoedas  polonesa, Coinroom, teria encerrado suas operações e desaparecido com os recursos dos clientes, conforme noticiou o portal de negócios do país money.pl em 31 de maio.

A Money.pl recebeu um e-mail de seus leitores, que afirmou que a  Coinroom – que foi registrada  em 2016 – encerrou as operações durante a noite e sumiu com o dinheiro dos clientes em abril. Alguns usuários dizem terem perdido cerca de 60.000 zloty (cerca de US$ 15.790) em suas contas.

Antes de terminar suas operações, a Coinroom supostamente enviou e-mails para seus clientes, com informações sobre rescisões contratuais. Os clientes da Coiroom tinham apenas um dia para sacar seu dinheiro, fato que estava de acordo com os regras assinadas pelos clientes para usar os serviços da Coinroom. No entanto, os clientes afirmam que alguns deles receberam apenas parte do dinheiro, enquanto a maioria deles não recebeu seus fundos de volta

Um dos clientes da exchange disse ao money.pl que havia perdido 2.005 bitcoins ( BTC ) (quase US $ 15.000 no momento da escrita). Outro usuário afirmou que “no segundo dia após o envio do e-mail, fui para a sede do Coinroom. A senhora da recepção não quis me deixar entrar, ela alegou que ninguém estava no escritório. Em vez disso, ela ligou para alguém da empresa. Me pediram para deixar meus contatos. Ninguém me contatou.”.

O Porta-Voz do Gabinete do Procurador Distrital em Varsóvia, Łukasz Łapczyńskiico, disse que o Gabinete iniciou um processo contra a Coinroom em conexão com as atividades não autorizadas que prestam serviços de pagamento e  que intermediam o intercambio de criptomoedas. O escritório também está identificando outras possíveis vítimas.

O índice de exchanges de criptomoedas do CoinMarketCap mostra que a Coinroom encerrou suas atividades. A página do Twitter da empresa também foi aparentemente excluída.

Conseqüentemente, em meados de maio, as startups de blockchain, RepuX e o JoyToken supostamente atuaram em um esquema envolvendo ofertas iniciais de moeda (ICO). As empresas realizaram promoveram ICOs durante os meses de março e abril de 2018 e arrecadaram US$ 4,7 milhões e US$ 3,3 milhões, respectivamente.

Por Ana Alexandre

Veja o Ranking das principais criptomoedas

Deixe um comentário