Inflação oficial, IPCA surpreende e sobe apenas 0,13% em maio, menor taxa desde 2006

LinkedIn

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio variou 0,13% e ficou 0,44 ponto percentual (p.p.) abaixo da taxa de abril (0,57%). Foi o menor resultado para um mês de maio desde 2006 (0,10%), informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A variação acumulada no ano foi de 2,22% e o acumulado nos últimos doze meses foi de 4,66%, abaixo dos 4,94% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em maio de 2018, a taxa havia sido de 0,40%.

O IPCA é usado como referência para as metas de inflação do Banco Central (BC). O mercado esperava alta maior, de 0,20%, segundo a Bloomberg. O índice deve ter impacto sobre as taxas de juros mais curtas e reforçar as projeções de queda no juro básico Selic este ano.

Quatro dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados mostraram deflação em maio. O impacto negativo mais intenso (-0,14 p.p.) sobre o IPCA de maio veio de Alimentação e bebidas (-0,56%), que havia subido 0,63% em abril. No lado das altas, destacam-se os grupos Habitação (0,98%), com impacto de 0,15 p.p., e Saúde e cuidados pessoais (0,59%), com impacto de 0,07 p.p. Os demais grupos ficaram entre a queda de 0,10% em Artigos de residência e a alta de 0,34% em Vestuário.

IPCA – Variação e Impacto por grupos – mensal

Grupo Variação (%) Impacto (p.p.)
Abril Maio Abril Maio
Índice Geral 0,57 0,13 0,57 0,13
Alimentação e Bebidas 0,63 -0,56 0,16 -0,14
Habitação 0,24 0,98 0,04 0,15
Artigos de Residência -0,24 -0,10 -0,01 0,00
Vestuário 0,18 0,34 0,01 0,02
Transportes 0,94 0,07 0,17 0,01
Saúde e Cuidados Pessoais 1,51 0,59 0,18 0,07
Despesas Pessoais 0,17 0,16 0,02 0,02
Educação 0,09 -0,04 0,00 0,00
Comunicação 0,03 -0,03 0,00 0,00

Deixe um comentário