Itaú lucra R$ 7 bi no 2º tri, 10,2% mais; rentabilidade é de 23,5%

LinkedIn

O Itaú Unibanco (BOV:ITUB4), maior banco privado da América Latina, registrou lucro líquido recorrente (sem eventos extraordinários) de R$ 7 bilhões no segundo trimestre de 2019, o que representou um crescimento de 10,2% em relação ao mesmo período de 2018, informou hoje o banco.

O resultado reflete o crescimento das carteiras de crédito de pessoas físicas e de micro, pequenas e médias empresas, bem como o aumento das receitas nos serviços de administração de recursos de terceiros, de emissão de cartões de crédito e de corretagem, aliado a um forte controle de custos. O retorno recorrente sobre o patrimônio líquido médio anualizado (ROE) foi de 23,5% no segundo trimestre, 2 pontos percentuais a mais que no mesmo período de 2018.

A carteira de crédito total ajustada cresceu 5,9 por cento sobre o mesmo trimestre do ano passado, enquanto o Índice de Inadimplência caiu de 2,9 por cento para 2,8 por centro.

O banco registrou expansão da concessão de crédito,com aumento da demanda de pessoas físicas e de micro, pequenas e médias empresas, o que resultou em altas de 14,0% e 19,0% nessas carteiras, respectivamente. A carteira de grandes empresas, por sua vez, apresentou redução de 1,8% no segundo trimestre, ante igual período do ano passado, mas com crescimento na originação de 29% no mesmo período de comparação, informou o banco.

O maior volume de crédito e o melhor mix de produtos levaram ao crescimento de 5,8% da margem financeira com clientes em relação ao segundo trimestre de 2018. O índice de inadimplência medido por créditos vencidos há mais de 90 dias aumentou 0,1 ponto percentual em 12 meses, atingindo 2,9%. No Brasil, a inadimplência de pessoas físicas permaneceu estável no mesmo período de comparação, em 4,5%, e a inadimplência de micro,pequenas e médias empresas caiu 1,2 ponto percentual, de 3,7% para 2,5%.

No segundo trimestre deste ano, as receitas de serviços e seguros cresceram 3,5% frente ao segundo trimestre de 2018, como resultado, principalmente, das atividades de emissão de cartões de crédito, de corretagem e da administração de recurso de terceiros.

As despesas não decorrentes de juros alcançaram R$ 12,7 bilhões no segundo trimestre deste ano, com aumento de 3,3% frente a igual trimestre de 2018, ocasionado principalmente por maiores despesas de pessoal. O índice de eficiência melhorou 0,9 ponto percentual no segundo trimestre de 2019,em relação ao mesmo período do ano anterior. O banco atingiu 11,9 milhões de correntistas pessoas físicas que utilizam os canais digitais via internet ou aplicativos móveis em junho de 2019. Em clientes pessoas jurídicas, esse número totalizou 1,2 milhão. Mais de 205 mil contas foram abertas pelo aplicativo Abreconta neste trimestre, de forma totalmente digital, o que representa um aumento de 61,5% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O valor adicionado à economia pelo Itaú Unibanco atingiu R$ 19,1 bilhões no segundo trimestre de 2019. O valor foi distribuído entre diversos segmentos da sociedade, sendo R$ 5,6 bilhões para colaboradores por meio de remuneração, R$ 5,8 bilhões ao Governo para pagamento de tributos, R$ 0,9 bilhão para o reinvestimento dos lucros na operação, R$ 6,4 bilhões para remuneração dos mais de 200 mil acionistas diretos e aproximadamente um milhão de acionistas indiretos e R$ 0,4 bilhão para outras partes.

Para Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco, com o bom encaminhamento da Reforma da Previdência e a consequente redução das incertezas em relação à sustentabilidade fiscal do País, “acreditamos que a economia brasileira dará início a um processo gradual de recuperação”.

O post Itaú lucra R$ 7 bi no 2º tri, 10,2% mais; rentabilidade é de 23,5% apareceu primeiro em Arena do Pavini.

Deixe um comentário