Lucro líquido da Cielo cai 33,3%; Companhia vai distribuir dividendos e JCP

LinkedIn

A Cielo (BOV:CIEL3) fechou o segundo trimestre deste ano com lucro líquido de R$ 431,2 milhões, uma queda de 33% ante os R$ 646,0 milhões de um ano antes.

A receita operacional da companhia, por sua vez, teve leve recuo de 4,4% em um ano, a R$ 2,799,3 entre abril e junho. O lucro operacional medido pelo Ebitda ficou em R$ 748,7 milhões no período, uma queda de 34,7% contra os R$ 1.147,2 bilhão do mesmo período de 2018.

Segundo a Cielo, o volume financeiro capturado aumentou 8,9% no segundo trimestre quando comparado ao mesmo período de 2018 e 4,9% frente ao início deste ano. “Este é o maior crescimento desde o terceiro trimestre de 2017, com destaque ao desempenho do varejo que voltou ao campo positivo”, disse a empresa.

Reação do mercado

Para o Bradesco BBI, houve uma recuperação considerável em volumes, mas “sem alívio” no lucro. “Consideramos que as pressões competitivas continuem”, destaca, reforçando a recomendação neutra para o papel.

De acordo com o Itaú BBA, houve mais dados negativos do que positivos neste trimestre, com custos e despesas crescendo mais rapidamente que as receitas. “A compressão de preços continuou e mais do que compensou a melhoria nos volumes. As receitas de pré-pagamento também desapontaram, caindo novamente, de forma sequencial. As adições líquidas de clientes foram baixas, levantando questões sobre o sucesso da empresa com os pequenos comerciantes”, apontam os analistas.

A XP Research destacou que a Cielo reportou um trimestre fraco mais uma vez impactada pela competição no setor e maiores gastos com pessoal. “Do lado positivo, os volumes transacionados mostraram resiliência e confirmaram que os esforços da empresa estão tendo efeito, mesmo que ao custo de margens bem menores”, avalia a equipe de análise, que mantém recomendação neutra e preço-alvo de R$ 7,00 para CIEL3 devido ao potencial limitado de queda das ações.

Distribuição de proventos

O Conselho de Administração da Cielo aprovou nesta terça, 23, a distribuição de dividendos intercalares e Juros sobre Capital Próprio (JCP) no montante total de R$ 9.1 milhões, em complemento aos JCP aprovados em 24 de junho de 2019.

Tais proventos são relativos ao 2º trimestre do exercício de 2019, dos quais R$ 2 milhões serão distribuídos a título de JCP, sujeitos à incidência de impostos aplicáveis a cada caso, e os R$ 7.1 milhões restantes a título de dividendos.

Os valores estimados por ação apresentados são os seguintes: R$ 0,0026 referente aos dividendos e R$ 0,00073 referente aos JCP.

Os proventos serão pagos aos acionistas no dia 27 de setembro de 2019, com base na posição acionária de 12 de setembro de 2019, sendo as ações da companhia negociadas ex-proventos a partir de 13 de setembro de 2019, inclusive.

Os proventos anunciados, somados àqueles aprovados em 24 de junho de 2019, perfazem o pagamento líquido equivalente a 30% do lucro líquido do 2º trimestre do exercício de 2019.

Os referidos proventos serão imputados ao dividendo mínimo obrigatório referente ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2019.

Comentários

  1. Jose Artur diz:

    A Cielo virou um banco, no sentido que vai emprestar dinheiro de forma a massacrar a concorrência. Soma-se isso a um P/L de 6, um dos mais baixos do bovespa+ Valores altos de aluguel+dividendos constantes+ empresa nunca deixou de ser muito lucrativa= foguete de hoje. Empresa para buy and hold.

Deixe um comentário