Banco central da Índia na justiça por banir criptomoedas

LinkedIn

Nesta quarta-feira (21) a Suprema Corte da Índia deu um prazo de 14 dias para o Banco Central do país justificar o banimento de negociações com criptomoedas. A ação perante a justiça se deve ao fato de que o responsável pelo caso afirmou que o órgão não justificou de maneira adequada as reclamações dos investidores e negociadores de moedas digitais. Fatos assim costumam afetar negativamente o criptomercado, refletindo na queda de seus ativos.

Panorama geral da situação

O banimento está sendo discutido pelo Banco Central desde 2018, quando o clima para realizar negócios com criptomoedas se tornou menos propício. Devido à falta de incentivo, várias casas de câmbio fecharam suas portas na Índia. Nas últimas semanas, o caso foi parar na justiça, de forma que o juiz responsável, Fali Nariman, criticou a justificativa do órgão para defender suas ações, e requisitou uma nova resposta diante da corte.

Uma das empresas afetadas pela decisão do banco, a Crypto Kanoon, afirmou que a decisão do juiz reflete no descaso com que o Banco Central da Índia está tratando o assunto. De acordo com seus representantes, casos como este costumam ter reviravoltas inesperadas. Por isto, a expectativa com relação as duas semanas que o órgão terá para responder adequadamente ao banimento, bem como as possíveis ações que poderá tomar em seguida são grandes.

Acontecimentos que impactam o criptomercado

É importante ter em mente que ações como esta são prejudiciais para o criptomercado, que não passa por uma boa fase. Apesar de lutar para não cair abaixo dos 10 mil dólares, seu principal ativo, o Bitcoin, já está cotado em torno dos 9.900 dólares. Nos últimos dois dias, o BTC começou a sofrer uma reversão em seu quadro de solidez.

Em meio a um clima de apreensão e instabilidade, os investidores seguem apreensivos. Para muitos especialistas, as perspectivas indicam que a criptomoeda pode chegar aos 7.500 dólares nas próxima horas. Isto apresentaria uma queda significativa para o ativo. Além disto, como o Bitcoin é a moeda digital mais forte, sua desvalorização acaba impactando negativamente a outras, como o Ethereum e o Litecoin.

Incertezas e apreensão dominam o mercado

Embora haja alguns fatores que contribuem para a queda do Bitcoin, o principal motivo é a sua natural instabilidade. Diante de diferentes níveis de especulação por parte dos especialistas, o caráter volátil da criptomoeda é conhecido, e por isto este quadro não surpreende até certo ponto. De qualquer forma, é necessário ficar de olho em seu comportamento a curto prazo, para ver qual será a tendência que mais provável para ela próximas horas.

Fonte: FX Street.

Veja o Ranking das principais criptomoedas

Deixe um comentário