Preocupações com recessão derruba futuros dos EUA nesta segunda-feira

LinkedIn

ÁSIA: Os principais mercados na Ásia-Pacífico subiram com cautela nesta segunda-feira, à medida que o temor com a guerra comercial pesava sobre o sentimento dos investidores após o presidente Trump alertar que as negociações programadas para o próximo mês podem não ocorrer”.

O Goldman Sachs disse no domingo que não espera um acordo comercial antes da eleição presidencial de 2020 e advertiu que a atual guerra comercial está tendo um efeito maior sobre a economia americana do que quando estimou pela primeira vez. Em uma nota aos investidores, o banco cortou sua previsão de crescimento para a economia e disse que o risco de recessão está aumentando à medida que as empresas reduzem os gastos devido às incertezas com a guerra comercial.

Em uma nota datada de 12 de agosto, os economistas do UBS rebaixaram as perspectivas de crescimento da China como resultado da alíquota adicional de 10% que os EUA devem impor sobre os produtos chineses a partir de setembro.

Os mercados da China continental se recuperaram das perdas da semana anterior e fecharam em alta na segunda-feira. O composto de Xangai subiu 1,45%, enquanto o Shenzhen Composite acrescentou 1,92%.

O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,44%. As perdas aceleraram no início do pregão, depois que o Aeroporto Internacional de Hong Kong cancelou todas as partidas para o dia, citando problemas com a intensificação dos protestos que estão cada vez mais violentos desde junho mergulharam o centro financeiro asiático em sua mais séria crise em décadas e são um dos maiores desafios populares para o líder chinês Xi Jinping desde que chegou ao poder em 2012.

As ações da Cathay Pacific caíram mais de 4% após a suspensão de um piloto por seu envolvimento nos protestos contra o governo na cidade. A transportadora disse que funcionários “excessivamente radicais” seriam impedidos de voar para o continente. A decisão da Cathay veio um dia depois que a autoridade de aviação da China emitiu um “alerta de risco à segurança da aviação” para a companhia aérea.

A agitação em Hong Kong continuou pela 10ª semana, com a polícia e manifestantes entrando novamente em confronto no domingo.

Na Austrália, o S & P / ASX 200, recuperou as perdas iniciais e fechou em alta de 0,09%. As principais mineradoras lutaram por ganhos: as ações da Rio Tinto (LON:RIO) caíram 2,6%, BHP caiu 0,9% e a Fortescue recuou 4,5%.

Na Coreia do Sul, o Kospi fechou em alta de 0,23%.

Os principais índices no Japão, Índia e Cingapura fecharam por conta de feriados.

No geral, o índice da MSCI de ações da Ásia-Pacífico exceto Japão fechou quase plano.

Os investidores ficaram de olho no yuan depois que o banco central chinês fixou a moeda chinesa enfraqueceu sua moeda em 7,0211 por dólar na segunda-feira, a terceira sessão consecutiva em que o Banco Popular da China definiu a taxa básica de juros acima do valor psicologicamente importante de 7 iuanes por dólar.

O iene japonês se fortaleceu contra o dólar, para 105,48, ante uma baixa de 105,97 na semana passada. Especialistas esperam que a moeda seja impulsionado pela demanda por “refúgio seguro” nesta semana. Segundo analistas, se a valorização do iene for sustentada, “fornecerá mais um desafio para o Banco do Japão elevar a inflação até a meta”.

Os preços do petróleo brigaram por ganhos no horário asiático, com o petróleo dos EUA recuando 0,29%, para US $ 54,34 por barril, e o benchmark global Brent recuando 0,21%, para US $ 58,41.

Na sexta-feira, os preços do petróleo subiram mais de US $ 1 por barril, apoiados por uma queda nos estoques europeus e nos cortes na produção da Opep, mesmo quando a Agência Internacional de Energia relatou que o crescimento da demanda foi o menor desde a crise financeira global de 2008.

EUROPA: As bolsas de valores europeias abriram mão dos ganhos na manhã de segunda-feira, com a continuidade da volatilidade nos mercados globais, enquanto os investidores monitoram as escaladas na guerra comercial EUA-China.

O pan-europeu Stoxx 600 cai 0,14% no meio da manhã, depois de ganhar quase 1% no início do pregão. Os bancos recuam 0,6%, enquanto o setor de alimentos e bebidas negociam com uma alta de 0,5%.

o conselheiro de segurança nacional de Trump, John Bolton, chegou a Londres no domingo para negociações em que espera-se que a Grã-Bretanha adote uma postura mais dura em relação ao Irã e à empresa de telecomunicações chinesa Huawei.

Os investidores também estarão de olho na evolução política na Itália depois que o partido Liga do vice-primeiro-ministro Matteo Salvini rompeu com o governo de coalizão na Itália e exigiu eleições antecipadas ao apresentar uma moção de desconfiança na sexta-feira.

A crise de Governo chegou ao ápice na quarta-feira, após o Senado votar uma moção que bloqueava as obras de um trem de alta velocidade na rota Turim-Lyon, que havia sido proposta pelo Movimento 5 Estrelas (M5S). A Liga deixou seus parceiros sozinhos e se alinhou ao voto contrário dos demais partidos. “Algo rompeu a maioria”, disparou Salvini naquele dia em um comício na praia de Sabaudia, durante sua excursão com teor eleitoral pela costa do país, alimentando especulações sobre uma possível ruptura da coalizão.

Entre as notícias corporativas, a AMS, fornecedora da Apple (NASDAQ:AAPL), disse no domingo que fez uma oferta de aquisição de 38,5 euros (US $ 43,15) por ação para o grupo alemão de iluminação Osram. As ações da AMS despencam 9,4%, enquanto as ações da Osram sobem 8,4% com as notícias.

As ações da Tullow Oil (LON:TLW) disparam 17% durante a sessão da manhã, liderando o Stoxx 600 após anunciar uma grande descoberta de petróleo na Guiana.

O dia é difícil para as mineradoras listadas em Londres, Anglo American (LON:AAL) cai 1,9%, Antofagasta (LON:ANTO) recua 0,4%, enquanto BHP cai 0,2% e Rio Tinto perde 0,3%.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos Estados Unidos recuam na manhã desta segunda-feira.

As atenções dos mercados pairam sobre a taxa de câmbio dólar / yuan seguindo de perto pela escalada nas tensões comerciais entre Washington e Pequim, aumentando temores de que a economia dos EUA possa entrar em recessão.

Trump disse a repórteres na sexta-feira que os EUA não estão prontos para fechar um acordo comercial com a China. Ambos os lados devem retomar as negociações comerciais em Washington no início de setembro. Ao mesmo tempo que uma nova tarifa adicional de 10% sobre US $ 300 bilhões em mercadorias chinesas deve entrar em vigor a partir de 1º de setembro.

O yuan se desvalorizou para 7 por dólar na semana passada, pela primeira vez desde a crise financeira global em 2008, o que levou o Departamento do Tesouro dos EUA a designar a China como um manipulador de moedas. Uma moeda mais fraca torna as exportações do país mais baratas e a administração do presidente Donald Trump reclama constantemente de que um yuan mais barato daria à China uma vantagem comercial.

O presidente dos Estados Unidos disse na sexta-feira que os EUA continuariam a manter conversações comerciais com Pequim, mas que Washington não estava preparado para fazer um acordo, por enquanto.

Na agenda econômica, espera-se que o Orçamento Federal para julho seja publicado por volta das 15h00.

Entre as notícias corporativas, espera-se que a Sysco e a Barrick Gold publiquem seus números trimestrais antes do início do pregão.

A Bloom Energy e a Tencent Music reportarão seus últimos resultados após o fechamento do mercado.

ÍNDICES FUTUROS – 7h50:
Dow: -0,65%
SP500: -0,66%
NASDAQ: -0,70%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário