A primeira pool de mineração de Bitcoin – A História do Bitcoin parte 13

LinkedIn

Nos primórdios do Bitcoin a mineração era muito diferente de hoje. Hoje em dia a mineração caseira, principalmente no Brasil, não é nada lucrativa. Manter uma mineradora não é vantagem para pequenos empreendimentos. Porém, em 2010 tudo era diferente.

Continue com a gente e vamos descobrir mais sobre a primeira Pool de mineração de Bitcoin da história! lembrando que esse é mais uma parte sobre a História do Bitcoin que estamos adaptando do site Bitcoin.com.

Com um hashrate exponencialmente menor, menos concorrência e uma recompensa de 50 bitcoins por cada bloco, antigamente a mineração de criptomoedas era um prato cheio para qualquer pessoa.

Mas alguns mineradores não estavam tão satisfeitos com essas condições. Aliás, algumas coisas estavam começando a atrapalhar o ecossistema da mineração. Problemas que anos depois ainda trariam problemas para várias criptomoedas atuais. Com essa “indignação” trouxe a criação da “mineração cooperativa”.

A primeira pool de mineração de Bitcoin

Se o Bitcoin é uma revolução, ele foi formado a partir de micro-revoluções. No final de 2010, o Bitcoin experimentaria sua primeira “revolução industrial” quando alguns mineradores concordaram em combinar seu poder de hash.

Naquele momento, a história foi feita e, nos próximos anos, também foi feito muito dinheiro. Porém, nem todo mundo estava apoiando a ideia,  por Slush no dia 27 de novembro de 2010.

“Quando as pessoas começaram a usar computadores com GPU para mineração, a mineração se tornou muito difícil para outras pessoas”, explicou.

“Estou no bitcoin há algumas semanas e ainda não encontrei um bloco (estou minerando em três CPUs). Quando muitas pessoas têm CPUs lentas e mineram separadamente, cada uma delas compete entre si E contra os ricos usuários de GPU ;-). ”

Ele continuou:

Eu tenho uma ideia: Junte mineradores de CPU a um cluster e aumente a chance de encontrar um bloco!

Vantagens? Quando você tem um computador autônomo ruim, precisa esperar várias semanas ou até meses para encontrar a recompensa total de 50BTC. Ao ingressar em um cluster assim, você receberá constantemente uma pequena quantidade de bitcoins todos os dias ou semanas (depende do desempenho total do cluster)… Eu acho que é extremamente importante para a economia de bitcoin diversificar a mineração em toda a rede e não deixar a mineração com poucos caras sortudos com GPUs rápidas. ”

A reação à ousada proposta de Slush foi mista. Alguns aceitaram a ideia, enquanto outros ficaram claramente nada impressionados. “A mineração cooperativa não é uma forma de comunismo?” respondeu um usuário do Bitcointalk.

“Eu acho que é inútil e muito mais difícil de fazer do que se poderia pensar.” “Isso é fundamentalmente falho”, retrucou outro oponente da pool de mineração.

Porém, Slush não se intimidou e, três semanas após sua proposta, a “mineração cooperativa”, como era então conhecida, começou. O Slush Pool era compatível com o minerador de CPU bitcoin de Jeff Garzik no lançamento, bem como com alguns mineradores de GPU antigos.

“Já são ~ 600000khash/s [600 MH/s] de poder e mais virá amanhã”, proclamou Slush. Ele não estava errado.

A Slush Pool sozinha corresponde a cerca de 9.3% de todo o hashrate do Bitcoin, além de ter mais de 8.500 mineradores e uma hash de mais de 5EH/S, ou 8.4 bilhões de vezes o poder original em 2010.

Veja o Ranking das principais criptomoedas

Deixe um comentário