Namoro ou amizade? Reunião Trump e vice chinês anima mercados; Ibovespa sobe 1,8% e dólar e juros futuros caem

LinkedIn

Os mercados acionários do mundo acompanham com atenção ao encontro entre o presidente americano, Donald Trump, e o vice-premiê chinês Liu He, para confirmar se há espaço para um avanço no acordo comercial que pode encerrar a guerra entre os dois países. Trump quer um compromisso mais amplo dos chineses, um acordo de longo prazo, que defina o relacionamento entre as duas principais potências econômicas globais não só na área econômica, mas também na área de patentes e tecnologia, o que não é bem a vontade dos chineses. Assim, como no antigo programa Namoro na Tevê, os investidores ficam na expectativa se as conversas vão evoluir para um relacionamento mais sério ou se vão continuar as trocas de farpas e restrições comerciais que ameaçam todo o comércio e a economia mundial.

O clima nos mercados é positivo pelas indicações de Trump de que os chineses estariam receptivos às demandas americanas. Mas isso pode mudar instantaneamente, em um tuíte do presidente americano. A expectativa, porém, é que hoje a delegação chinesa leve a proposta para Pequim e um eventual desgaste com uma negativa fique para a semana que vem.

O Índice Bovespa sobe 1,83%, para 103.677 pontos, acompanhando o mercado americano, onde o Índice Dow Jones sobe 1,49% e o Standard & Poor’s 500, 1,51%. O Nasdaq tem alta de 1,69%.

O índice Dow Jones Global tem alta de 2,76%, com a Europa em forte alta. O Euro Stoxx 600 sobe 1,89%, com o DAX, de Frankfurt, subindo 2,37% e o CAC, de Paris, 1,38%. As negociações entre o Reino Unido e a Irlanda e reuniões entre líderes da União Europeia aumentam a expectativa também de um acordo para o Brexit de maneira menos traumática para todos. O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, informou hoje que recebeu do primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar, sinais de que é possível um acordo para a questão da fronteira com a Irlanda do Norte, que pertence ao Reino Unido, caso o país saia da União Europeia. A Irlanda vai continuar no acordo e isso criaria um problema para a União Europeia.

O petróleo está em alta de 1% após notícias de que um petroleiro iraniano sofreu uma explosão com derramamento de óleo no mar. O receio é de que se trate de um ataque terrorista, o que aumentaria ainda mais a tensão no Golfo Pérsico.

Os principais papéis do Índice Bovespa estão em alta, com Vale ON ganhando 2,86%, Petrobras PN, 1,46%, Itaú Unibanco PN, 1,55%, Suzano ON, 3,98% e Magazine Luíza ON, 2,85%.

As maiores altas do índice são de CSN ON, 4,35%, Suzano ON, 4,01%, B2W Digital ON, 3,93%, e Lojas Americanas PN, 3,40%.

Só uma empresa do índice está em queda, Eletrobras PNB, 0,27% e Eletrobras ON, 0,03%.

O dólar comercial recua 0,44%, para R$ 4,106 para venda. Já os juros futuros estão em queda, com a projeção para janeiro de 2020 indicando 4,929% neste ano, 0,02 ponto percentual de baixa. Para janeiro de 2021, a taxa projetada é de 4,62%, baixa de 0,03 ponto e, para 2025, a queda é de 0,11 ponto, bastante significativa, para 6,33% ao ano.

Deixe um comentário