A semana começa morna após Dow cruzar os 28.000 pontos

LinkedIn

ÁSIA: A maioria das principais bolsas na Ásia fechou em altas nesta segunda-feira, com os investidores buscando novos desenvolvimentos nas negociações EUA-China.

A mídia estatal chinesa Xinhua informou no fim de semana que o vice-primeiro-ministro chinês Liu telefonou no sábado de manhã para o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin e o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, para conversar sobre o acordo comercial da “primeira fase”. A agência estatal ainda informou que os dois lados mantiveram “discussões construtivas” sobre “as principais preocupações de um com o outro” e concordaram em permanecer em contato próximo. A ligação foi feita a pedido de Mnuchin e Lighthizer, de acordo com a Xinhua.

Isso aconteceu depois que o assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse na semana passada que as duas potências econômicas estavam ”chegando perto” de um acordo.

Segundo analistas, até agora, um acordo comercial da “fase 1” permanece ilusório. Apesar dos comentários positivos das autoridades americanas, os EUA e a China parecem incapazes de concordar com as principais questões do acordo, ainda existe o risco de que parte do otimismo recente em relação às tarifas comece a diminuir, visto que os EUA ainda estão programados para aumentar as tarifas em 15% sobre US $ 156 (bilhões) das importações chinesas em 15 de dezembro. A remoção das tarifas existentes parece ser um dos principais pontos de discórdia nas negociações atuais.

Na China continental, o composto de Xangai subiu 0,62%, enquanto o Shenzhen Composite avançou 0,77%. O movimento de alta ocorreu após o Banco Popular da China estabelecer sua taxa de recompra de sete dias em 2,5%. Segundo analistas, esta é a primeira mudança na taxa desde que foi subiu em março de 2018 e a medida é um passo importante para a redução dos custos de financiamento para os bancos, que dependem fortemente destas operações como fonte de liquidez no curto prazo.

O índice Hang Seng de Hong Kong subiu 1,35%, mesmo com o andamento das manifestações em Hong Kong que já duram meses. Os EUA pediram moderação, à medida que a agitação em Hong Kong continua. Na segunda-feira, a polícia de Hong Kong sitiou uma universidade onde centenas de manifestantes antigovernamentais foram abrigados com bombas de gasolina e outras armas caseiras, informou a Reuters.

Na segunda-feira, um tribunal superior local decidiu que uma proibição de máscaras promulgada no mês passado era “incompatível” com a mini-constituição da cidade.

O Nikkei do Japão avançou 0,49%, enquanto o índice Topix subiu 0,24%. As ações da Z Holdings, anteriormente conhecida como Yahoo Japan e da Line subiram 1,2% e 2,18%, respectivamente, após a Softbank Corp anunciar planos para se fundir com a Z Holdings, sua subsidiária, com a Naver’s Line.

O Kospi da Coreia do Sul, por outro lado, caiu 0,07% para fechar em 2.160,69 pontos.

Na Austrália, o S &P / ASX 200 recuou 0,40% no dia, para 6.766,80 pontos. Entre as ações ligadas às commodities, BHP caiu 0,2%, Fortescue Metals caiu 0,6%, Rio Tinto avançou 0,7%, assim como a produtora de petróleo Woodside Petroleum.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan foi 0,5% maior.

As exportações de Singapura em outubro caíram mais do que o esperado. As exportações domésticas não petrolíferas caíram 12,3% no comparativo anual, contra expectativas de um declínio de 10,4% em uma pesquisa da Reuters.

EUROPA: As bolsas europeias tentam manter seus atuais níveis após seis semanas consecutivas de altas. Depois subir 11 nas últimas 13 semanas, o pan-europeu Stoxx 600 abriu em alta de 0,20%, com os bancos subindo 0,7%, mas invertem o curso e cai 0,16%. Entre as mineradoras listadas em Londres, Antofagasta e BHP sobem 0,4% cada, Rio Tinto oscila entre altas e baixas, enquanto Anglo American e Glencore recuam 0,4 e 0,2%, respectivamente.

O DAX 30 da Alemanha cai 0,10%, CAC 40 da França recua 0,22%, IBEX 35 da Espanha recua 0,17% e FTSE MIB da Itália perde 0,18%. Em sentido contrário, o FTSE 100 do Reino Unido avança 0,10%.

No Reino Unido, os líderes políticos estão se preparando para apresentar seus manifestos eleitorais aos líderes empresariais reunidos na reunião da Confederação da Indústria Britânica em Londres. O primeiro-ministro Boris Johnson se comprometerá novamente a acabar com as incertezas do Brexit que afetaram o ambiente de negócios do país desde o referendo da UE em junho de 2016.

Não há balanços importantes a serem divulgados, assim como não está prevista a divulgação de dados econômicos relevantes na região nesta segunda-feira.

No fim de semana, o Morgan Stanley disse que estava encerrando a recomendação de baixa ponderação para as ações globais. O banco  diz que prefere ações fora dos EUA devido à avaliação.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam em alta nesta segunda-feira de manhã  depois que Wall Street fechou a semana com marcos históricos. O Dow Jones Industrial Average cruzou 28.000 pontos pela primeira vez e o S&P 500 e Nasdaq atingiram  novos recordes.

Relatos apontam que o vice-primeiro-ministro chinês Liu conversou com o secretário do Tesouro e o representante de comércio dos EUA por telefone no sábado. De acordo com o Ministério do Comércio chinês, os dois lados conversaram “construtivamente” sobre as preocupações comerciais.

Na agenda econômica, está prevista a divulgação de dados sobre pesquisas de líderes empresariais às 10h30 da manhã, a pesquisa NAHB às 12h00 e os dados do TIC devendo ser divulgados às 18h00.

Não há balanços importantes a serem observados.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow: +0,25%
SP500: +0,15%
NASDAQ: +0,26%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário