Possível impassse nas negociações EUA-China azeda as bolsas mundiais

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas da Ásia fecharam em baixa nesta quinta-feira, após temores de que um acordo comercial da “fase um” entre os EUA e a China não seja assinado até o final de 2019.

A Reuters informou, citando pessoas próximas do governo do presidente dos EUA, Donald Trump, que a conclusão de um acordo comercial parcial poderia ser adiada para 2020, à medida que a China buscar reveses tarifários mais extensos. Esse relatório veio depois que o Wall Street Journal informou, citando ex-funcionários do governo Trump, que as negociações comerciais em andamento poderiam entrar em um impasse.

Por outro lado, um porta-voz do Ministério do Comércio chinês disse a repórteres na quinta-feira que Pequim se esforçará para chegar a um acordo comercial da “fase 1” com Washington. No dia 15 de dezembro, está prevista a aplicação de mais tarifas sobre produtos chineses. Pequim quer que Washington concorde primeiro com uma reversão mais ampla das tarifas sobre produtos chineses.

A questão ficou ainda mais complicada com a aprovação do projeto de  apoio à lei de direitos humanos de Hong Kong no Congresso dos EUA, em meio aos tumultos contínuos na cidade há meses. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, disse que Pequim “condena e se opõe firmemente” ao projeto de lei, conhecido como Lei de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong. A China também condenou as medidas dos legisladores americanos em apoiar os manifestantes em Hong Kong, ameaçando com “fortes contramedidas”.

O Nikkei do Japão caiu 0,48%, enquanto o índice Topix caiu 0,1%. Na Coreia do Sul, o Kospi caiu 1,35%, com as ações da Samsung Electronics e SK Hynix recuando 1,92% e 2,18%, respectivamente.

Na China continental, o dia também foi de baixa, com o composto de Xangai recuando 0,25%, enquanto o Shenzhen Composite caiu 0,24%. O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 1,57%, liderando as perdas na região.

O S &P / ASX 200 fechando em queda de 0,74%, a 6.672,90 pontos, com as ações da Westpac caindo 1,99%, depois que o primeiro-ministro australiano Scott Morrison chamou o conselho do banco para refletir “muito profundamente” sobre o futuro do CEO da empresa. Esse declínio ocorreu depois de uma queda de mais de 3% na quarta-feira, depois que o órgão regulador australiano de combate à lavagem de dinheiro e ao terrorismo entrou com uma ação penal contra a empresa, alegando que “a supervisão dos serviços bancários por meio de seus correspondentes bancários era deficiente”.

O dia foi de baixa para as mineradoras na Austrália. BHP caiu 1,3%, Fortescue recuou 2,2%  e Rio Tinto perdeu 1,2%.

No geral, o índice MSCI Asia ex-Japan foi negociado 1,07% menor.

EUROPA: As bolsas europeias negociam em queda na manhã desta quinta-feira, com as relações entre China e EUA sob pressão. O pan-europeu Stoxx 600 cai 0,7% no início da sessão, com ações do setor de recursos básicos liderando as perdas.

Entre as mineradoras listadas em Londres, Anglo American cai 1,9, Antofagasta recua 2,4%, BHP perde 1,7% e Rio Tinto cai1,5%.

EUA: Os contratos futuros de ações dos EUA abriram em queda, mas reduziram perdas maiores depois que o vice-primeiro-ministro da China, Liu He, disse ter ficado “cautelosamente otimista” em chegar a um acordo comercial preliminar de fase 1 com os EUA.

Liu expressou otimismo em relação a um acordo comercial da “fase 1” durante um jantar, segundo fontes anônimas que compareceram, informou a Bloomberg. O principal negociador comercial da China também disse a uma pessoa no evento que estava “confuso” sobre as demandas comerciais dos EUA, mas acredita que um acordo será alcançado.

Na quarta-feira, o DJIA caiu 112,93 pontos, ou 0,40%, para fechar em 27.821 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,38% ao terminar em 3.108,46 pontos. O Nasdaq Composite caiu 0,51%.

As perdas para as ações dos EUA na quarta-feira ocorreram em parte depois que a Reuters informou que um acordo da primeira fase seria adiado para 2020. O presidente Donald Trump também reagiu com o aumento da demanda pela China.

O mercado também está preocupado com o aumento das tensões entre Pequim e Washington devido a uma lei de direitos humanos de Hong Kong, que foi aprovada pela Câmara dos Deputados na quarta-feira após aprovação anterior do Senado. O projeto – agora dirigido a Trump por sua assinatura – irritou o governo chinês.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow: -0,13%
SP500: -0,16%
NASDAQ: -0,21%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário