"Trump Trade" pesa novamente sobre as bolsas mundiais

LinkedIn

ÁSIA: As bolsas asiáticos fecharam em queda nesta segunda-feira, em meio à crescente violência em Hong Kong e contínua tensão comercial entre os EUA e a China.

A polícia de Hong Kong revidou contra manifestantes durante a manhã local. Pelo menos dois manifestantes ficaram feridos quando a polícia abriu fogo contra manifestantes em massa e tentou dispersar multidões com spray de pimenta e gás lacrimogêneo. Hong Kong está no sexto mês de protestos que começaram com uma proposta de lei de extradição, enquanto as demandas expandiram para incluir maior democracia e responsabilidade policial. O índice Hang Seng caiu 2,62% no final. No fim de semana, três parlamentares pró-democracia foram presos.

Na frente comercial, o presidente Donald Trump acabou com as especulações de uma possível reversão nas taxações, dizendo que ainda não concordou em remover tarifas sobre produtos chineses, embora Pequim queira que ele faça isso.

Os mercados da China continental registraram perdas: o composto de Xangai caiu 1,83% e o composto de Shenzhen caiu 2,26%. O índice de preços ao consumidor da China subiu 3,8% em outubro em relação ao ano anterior, maior do que a previsão de 3,5%, superando em muito a leitura de 3,0% de setembro. Como durante todo o ano, o aumento da inflação ao consumidor em outubro foi impulsionado pelo aumento dos preços dos suínos, mais rápido já registrado em meio a um surto da peste suína africana que elevaram a inflação geral dos preços dos alimentos para mais de 11 anos, com a demanda elevando os preços de carnes alternativas à suína, incluindo ovos e outros produtos à base de carne.

A inflação dos preços não alimentícios ficou em 0,9% em outubro, ante 1,0% em setembro. Prevê-se que a queda dos preços ao produtor reduza as margens de lucro das empresas industriais da China, que estão lutando para lidar com regras ambientais mais rígidas e com redução de pedidos em meio à prolongada luta comercial dos EUA.

O Nikkei do Japão reverteu os ganhos iniciais para negociar em queda de 0,26%, enquanto o índice Topix caiu para 1.704,03 pontos.

O Kospi da Coreia do Sul caiu 0,61%, enquanto a fabricante de chips SK Hynix caiu 1,22%.

Na Austrália, o ASX 200 contrariou a tendência regional de queda e subiu 0,72%, para 6.772,50 pontos. Entre as mineradoras, BHP caiu 0,6%, Fortescue Metals despencou 5,2%, enquanto Rio Tinto caiu 2,4%

O índice da MSCI de ações da Ásia-Pacífico ex-Japan caiu 1,17%.

O DBS Bank de Singapura registrou um aumento acima do esperado no lucro líquido do terceiro trimestre, ao saltar 15% ano a ano para 1,63 bilhão de dólares de Cingapura (1,19 bilhão de dólares). Sua receita líquida sobre juros no terceiro trimestre aumentou 8%, para US $ 2,46 bilhões em dólares de Singapura. As ações da DBS em Singapura caíram 0,34%.

EUROPA:  As bolsas europeias negociam em baixa na segunda-feira de manhã, em meio ao otimismo com as negociações comerciais EUA-China, depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, negou ter concordado em reverter as tarifas sobre produtos chineses.

O pan-europeu Stoxx 600  cai cerca de 0,2% na manhã da manhã, com a maioria dos setores e principais bolsas negociam no vermelho. Entre as mineradoras listada em Londres, Anglo American cai 2,4%, Antofagasta cai 3,2%, BHP cai 2% e Rio Tinto recua 2,1%.

Uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira mostrou que as contratação pelos empregadores britânicos caíram para uma baixa de 18 meses, indicando uma cenário um pouco mais otimista do mercado de trabalho do que aquela que levou dois legisladores do Banco da Inglaterra a defenderem um corte nas taxas de juros na semana passada.

O PIB do Reino Unido cresceu 0,3% no terceiro trimestre, o que significa que a economia britânica evitou entrar em recessão técnica após contrair 0,2% no segundo trimestre. A produção industrial do Reino Unido caiu 0,4% em setembro em comparação a agosto, uma queda de 1,6% em relação a setembro de 2018.

A produção da indústria italiana caiu em 0,4% em setembro, revertendo um aumento na mesma escala em agosto e indicando a fragilidade do crescimento na terceira maior economia da Europa.

Os socialistas do primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez saíram vitoriosos na segunda eleição parlamentar do país, mas o partido Vox, de extrema-direita, dobrou seus assentos, preparando o terreno para difíceis discussões governamentais.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA operam em queda na segunda-feira de manhã.

Os investidores estão monitorando de perto as notícias da frente comercial China-EUA, depois que o presidente Donald Trump disse na sexta-feira que ele não havia concordado em eliminar as tarifas sobre produtos chineses. Seus comentários acompanharam as notícias do início da semana passada, depois que o Ministério do Comércio chinês disse que os dois lados concordaram em cancelar as tarifas existentes.

No front dos dados econômicos, não há liberações de dados agendadas.

O mercado de títulos está fechado na segunda-feira devido ao Dia dos Veteranos.

Entre as notícias corporativas, o Grocery Outlet e o Tencent Music devem reportar após o sino de fechamento.

ÍNDICES FUTUROS – 7h30:
Dow: -0,38%
SP500: -0,36%
NASDAQ: -0,44%

OBSERVAÇÃO: Este  material é um trabalho voluntário, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado e a europeia no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados.

Deixe um comentário